Show de tango e valsa vai marcar a despedida da rainha da noite, no Memorial São José em Caxias  - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Luto em Caxias18/06/2019 | 19h28Atualizada em 18/06/2019 | 19h28

Show de tango e valsa vai marcar a despedida da rainha da noite, no Memorial São José em Caxias 

Apaixonada pela dança, Adilce Luchtemberg recebe homenagem especial no velório

Show de tango e valsa vai marcar a despedida da rainha da noite, no Memorial São José em Caxias  Nereu de Almeida  / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Nereu de Almeida / Agência RBS / Agência RBS

O professor André Ribeiro e sua senhorita vão dançar os tangos "La Cumparsita", do compositor Gerardo Matos Rodríguez, e a "Garganta Con Arena", gravada pela cantora argentina Soledad Pastorutti, interpretada pela nossa vocalista Mari Mussoi. O show também terá a valsa vienense "Danúbio Azul" de Johann Strauss II. O show está marcado para começar às 9h. Às 10h, o corpo será levado para ser sepultado no cemitério da 6ª Légua, onde também vão acontecer homenagens. Adilce morreu aos 79 anos, na noite de segunda-feira, após sofrer um aneurisma cerebral.

Sua presença era marcante na casa. Usando vestidos exuberantes e maquiagem e penteados impecáveis, circulava com desenvoltura entre os frequentadores da casa.

 Leia mais:  
Fundadora da Chardonnay, Adilce Luchtemberg morre 37 dias após a filha, em Caxias do Sul
Márcia Cappelletti, dona da danceteria Libertá, morre após sofrer AVC em Caxias  

— Quando começava a tocar uma valsa ou um tando ela se dirigia imediatamente para pista —  lembra o integrante da banda, Magnos Gasparini.

A saúde de Adilce começou a ficar debilitada após a morte da filha. Desde então não frequentou mais a danceteria e se recolheu em casa. A paixão de Adilce pela música - principalmente o tango e a valsa - foi cultivada desde a infância, quando seu pai administrava um "salão de baile" em Meleiro (SC), sua cidade natal. O sonho de abrir uma pizzaria dançante, no entanto, foi concretizado anos mais tarde, em agosto de 1985, já em Caxias do Sul. Inaugurada como Chandon, a casa era voltada especificamente ao ritmo argentino e rapidamente ganhou notoriedade na região.

No início, Adilce buscava os clientes em suas próprias casas utilizando um carro particular. A mudança de nome para Chardonnay _ a Rainha da Noite se deu alguns anos depois, e o local se consolidou como um ambiente de dança e confraternização para o público maduro.

Em 34 anos, o palco da Chardonnay recebeu nomes de peso da música brasileira, como Moacyr Franco, Agnaldo Rayol e a dupla Teodoro e Sampaio. Nomes da música regional, como Os Monarcas e Gaúcho da Fronteira também fizeram sucesso na danceteria.

O velório de Adilce ocorre na Capela A do Memorial São José de Caxias do Sul. O sepultamento será realizado às 10h desta quarta-feira, no Cemitério de São Luiz da 6ª Légua, em Caxias do Sul. 

 Leia também
Irmãos surdos de Caxias do Sul receberão voto de congratulações
Em prestação de contas, Chico Guerra dá poucas perspectivas de benefícios concretos para Caxias após viagens
Ex-prefeito de Caxias chama Daniel Guerra de mentiroso 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros