Primeira semana de atendimento de contingência de saúde em Caxias fica dentro da capacidade prevista pela prefeitura - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Saúde pública17/06/2019 | 13h49Atualizada em 17/06/2019 | 13h49

Primeira semana de atendimento de contingência de saúde em Caxias fica dentro da capacidade prevista pela prefeitura

Falta de frio contribuiu para não haver lotação do serviço

Primeira semana de atendimento de contingência de saúde em Caxias fica dentro da capacidade prevista pela prefeitura Porthus Junior/Agencia RBS
Porta de entrada para os usuários do serviço público de urgência e emergência continua sendo a UPA da Zona Norte Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A primeira semana do atendimento de contingência em saúde para Caxias do Sul, enquanto o Postão 24 Horas segue fechado para reformas no centro, ficou dentro da capacidade de apoio dos serviços. Eles servem para dar suporte à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Zona Norte. Conforme o secretário municipal da Saúde, Júlio César Freitas da Rosa, a média de atendimentos diários desde o início da contingência, na última segunda-feira (10), foi de 60 atendimentos por dia. Essa quantia corresponde a 60% do número previsto de até 100 atendimentos diários.

Leia mais
Sem cumprir prazo para reforma do Postão, gasto do município com compra de serviços supera R$ 1 milhão
Pronto desde 2017, posto de saúde começa atendimentos em Caxias do Sul
Centro Clélia Manfro oferece serviços auditivos e oftalmológicos em Caxias

O plano de contingência prevê que a clínica Clélia Manfro receba até 30% dos pacientes com prioridade de atendimento mais baixa da UPA, que são identificados com pulseira azul na triagem. Dos 400 pacientes diários da UPA, 300 se enquadram nessa faixa, conforme o secretário. Como no inverno há um aumento esperado de 20% a 30% nos atendimentos em função das doenças respiratórias do período, principalmente em crianças e idosos, o suporte previsto no plano de contingência prevê esse índice no serviço contratado para apoio.

O secretário comenta que o comportamento do tempo, com temperaturas mais altas do que o normal para períodos que antecedem o inverno, contribuiu para uma procura menor por atendimento. À medida que os dias mais frios e úmidos chegarem, a tendência é de a procura aumentar.

— Precisamos verificar como vai se comportar o atendimento quando o clima ficar mais frio e mais úmido. Até foi bom que nesta semana pudemos trabalhar com tranquilidade  para ajustarmos fluxos e procedimentos com relação a esse plano de contingência — observa.

Além da clínica Clélia Manfro para os atendimentos com menos gravidade, a prefeitura também comprou 15 leitos no Hospital Virvi Ramos. A porta de entrada para os usuários do serviço público de urgência e emergência continua sendo a UPA da Zona Norte. A clínica Clélia Manfro dá retaguarda a este serviço e não atende por livre demanda.

O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h porque, conforme o secretário, o fluxo maior na UPA ocorre ao longo do dia e início da noite, caindo nos finais de semana de 13% a 15% em relação aos demais dias.

Leia também
Última semana para se inscrever no concurso da prefeitura de Caxias
Mais um ex-assessor do vereador Moacir Camerini depõe em segunda oitiva da CPI das Fake News

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros