Professores protestam contra atraso no pagamento de salários na praça Dante Alighieri, em Caxias   - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Rede Estadual 02/05/2019 | 17h22Atualizada em 02/05/2019 | 17h35

Professores protestam contra atraso no pagamento de salários na praça Dante Alighieri, em Caxias  

Pelo menos 16 escolas estaduais da cidade estão com paralisação total ou parcial nesta quinta-feira 

Professores protestam contra atraso no pagamento de salários na praça Dante Alighieri, em Caxias   Aline Ecker  / Agencia RBS/Agencia RBS
Foto: Aline Ecker / Agencia RBS / Agencia RBS

Um grupo de professores da rede estadual se reuniu na praça Dante Alighieri, no Centro de Caxias do Sul, na tarde desta quinta-feira (02). A mobilização faz parte das paralisações realizadas no Rio Grande do Sul em protesto ao atraso e parcelamento de salários por parte do Governo do Estado.  Pelo menos 16 escolas de Caxias aderiram a paralisação total ou parcial durante todo o dia. 

Leia mais:
Mobilização contra atraso salarial paralisa ao menos 16 escolas de Caxias do Sul, segundo Cpers

A vice-presidente do Sindicato dos Professores do Rio Grande do Sul (Cpers-Sindicato), Solange Carvalho, explica que a categoria decidiu em assembleia que farão um dia de paralisação em cada mês em que os salários forem pagos com atraso: 

—  Temos uma pauta de reivindicação que foca na reposição salarial que não ocorre desde 2014 e na necessidade de concurso público para professores. Essa é a nossa prioridade. A paralisação desta quinta é positiva porque a categoria tem sentido muita pressão das coordenarias regionais de educação, do governo e nas escolas, com a falta de profissionais. 

Na pauta de reivindicações aprovada pelo magistério estadual e encaminhada ao governador, a categoria reivindicou reposição salarial de 28,78% e concurso público para professores e funcionários de escola. Os professores também se posicionam sobre a reforma da previdência e solicitam a criação de comitês para debater o assunto. 

O governador Eduardo Leite recebeu a categoria no dia 29 de abril, e uma nova reunião está agendada para o dia 13 deste mês. Já no dia 15 está programada a greve nacional da categoria.

Alunos também protestam contra falta de professores

Os estudantes do Colégio Estadual São Tiago, um dos maiores de Farroupilha, irão fazer uma manifestação às 19h30min desta quinta. O problema é a falta de professores e funcionários. No turdo da noite, não há mais secretária porque ela precisou assumir turmas em sala de aula. 

— Na minha turma, tem seis matérias sem professor. Desde o início do ano está assim. Pensa, já estamos terminando o primeiro trimestre e nada. A gente pediu ajuda da diretora, que está nos apoiando. Dizem que pediram várias vezes para o Estado e 4ª CRE, mas não recebem respostas — afirma Guilherme Dolne, 16 anos, que faz parte do Grêmio Estudantil e está há dois anos na escola. 

Somando os três turnos, o colégio teria uns 1,2 mil alunos.

Leia também:
Guardas protestam por criação de lei e querem ser recebidos pelo prefeito Daniel Guerra 
Economia caxiense registra crescimento de 3,1% em março
Maior escola de Farroupilha fecha secretaria por falta de servidores




 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros