Após morte de adolescente, moradores lembram riscos para pedestres em estrada de Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Atropelamento18/05/2019 | 15h15Atualizada em 19/05/2019 | 15h45

Após morte de adolescente, moradores lembram riscos para pedestres em estrada de Caxias

Via, frequentemente utilizada por praticante de caminhadas e ciclistas, não tem acostamento e nem passeio público

Após morte de adolescente, moradores lembram riscos para pedestres em estrada de Caxias Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Em 2017, representantes da comunidade apontavam os riscos da falta de passeio público e de acostamento na estrada municipal Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

A falta de segurança para pedestres na Estrada Municipal Vicente Menezes é um problema que se arrasta há anos na comunidade da Linha 40, interior de Caxias do Sul. Na sexta-feira (17), a estudante Letícia dos Santos Azambuja, 12 anos, foi atropelada por um caminhão, quando fazia a travessia da via, após desembarcar de um ônibus. Ela chegou a ser socorrida ao Hospital Geral, mas não resistiu aos ferimentos e morreu pouco depois das 6h deste sábado (18). 

Leia mais
Adolescente de 12 anos morre atropelada por caminhão no interior de Caxias do Sul
Moradores da Linha 40, em Caxias, se unem e reativam amob

Em uma reportagem publicada em janeiro de 2017 pelo Pioneiro, representantes da comunidade já apontavam os riscos da falta de passeio público e de acostamento na estrada municipal. A via, que corta a comunidade e segue em direção a Mato Perso e Otávio Rocha, no interior de Flores da Cunha, é utilizada, com frequência, por praticantes de caminhada e ciclistas. 

Dois anos depois, nada mudou na estrutura, conforme aponta o vice-presidente da Associação dos Moradores de Bairro (Amob), Lenir Fábio Adami.

— Nem roçar, não roçam mais. É um conjunto de fatores que infelizmente levou a isso: não tem acostamento, não tem parada de ônibus, a escola onde a menina estudava foi fechada (a Escola Dr. Liberato Salzano Vieira da Cunha encerrou as atividades após 109 anos). É um momento complicado e triste para se pensar nisso, mas não adianta querer mudar as coisas depois que acontecem — lamenta Adami. 

Conforme Adami, a família mora no local próximo ao acidente. A adolescente estaria desembarcando do ônibus escolar no momento do atropelamento. De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil, há câmeras de monitoramento próximas ao local que poderão ser usadas para esclarecer as circunstâncias do acidente. 

O velório da estudante ocorrerá na Sala B das Capelas São Luiz de Flores da Cunha. O sepultamento ocorreu às 11h deste domingo (19) no Cemitério Público do município. 

O que diz a Secretaria de Trânsito:

A Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM) informou, neste domingo (19), que avaliará tecnicamente quais medidas de sinalização podem ser realizadas no local para garantir a segurança dos pedestres. A pasta também acompanhará junto à Polícia Civil o esclarecimento das causas do acidente. Além disso, a secretaria ressalta que tem feito operações educativas e coercivas e fiscalização com radar móvel no intuito de instituir um comportamento seguro de motoristas e pedestres no trânsito.

Leia também
Confira os municípios da Serra com menor e maior taxa de vacinação contra a gripe
Idoso morre em Caxias do Sul após ser atacado por bode 



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros