Prefeitura de Caxias vai decretar emergência após temporal - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Infraestrutura15/04/2019 | 18h59Atualizada em 15/04/2019 | 19h03

Prefeitura de Caxias vai decretar emergência após temporal

Documento agilizará compra de materiais e recebimento de seguros por parte dos agricultores

Prefeitura de Caxias vai decretar emergência após temporal Lizie Antonello / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Lizie Antonello / Agência RBS / Agência RBS

A prefeitura de Caxias do Sul vai decretar situação de emergência em função dos estragos causados pelo temporal de granizo que atingiu a cidade no último sábado. A decisão é do prefeito Daniel Guerra (PRB) que deve assinar o documento, ainda em fase de elaboração, nos próximos dias.

Leia mais
Defesa Civil contabiliza distribuição de lonas para 500 casas em Caxias do Sul
UBS do bairro Desvio Rizzo, em Caxias, reabre no início da tarde desta segunda
Domingo é dia de consertar telhado, retirar árvores das ruas e restabelecer a luz em Caxias depois da tempestade
Número de casas danificadas pelo granizo em Caxias do Sul chega a 180
Cem casas ficam destelhadas após temporal em Caxias do Sul   

Uma reunião na tarde desta segunda-feira reuniu representantes das secretarias envolvidas nos atendimentos decorrentes do evento climático, além do Corpo de Bombeiros Militar e a Defesa Civil Região Serra. Na prática, o decreto servirá para agilizar a compra dos materiais necessários para consertar os telhados das casas perfurados pela chuva de gelo e, ainda, para facilitar o recebimento de seguro dos produtores agrícolas.

Apesar da grande quantidade de granizo, chuva e vento forte combinados, não há registro de feridos, desalojados ou desabrigados na cidade. De acordo com a Defesa Civil do município, em torno de 500 casas foram danificadas e 26,8 mil metros de lonas distribuídos.

Segundo o secretário da Habitação, Renato Nunes, a secretaria ainda dispõe de lonas caso seja preciso atender a mais famílias, porém, o estoque de telhas, necessárias para a reconstrução dos telhados, é suficiente para atender a cerca de 50 casas apenas.

– Estamos desde o primeiro momento à disposição da população. Estamos agilizando de uma forma mais rápida possível, mas, infelizmente, tem esse trâmite da lei, a burocracia – declarou Nunes.

Para valer, o decreto tem de ser homologado pelo governo do Estado. Caso a prefeitura não consiga adquirir os materiais com dispensa de licitação, um processo terá de ser lançado, o que pode atrasar a compra em cerca de 90 dias, tempo que costuma demorar a tramitação.

As pessoas que tiveram danos decorrentes do temporal devem procurar a Secretaria de Habitação, na sede da prefeitura, para fazer o cadastro. Após, uma equipe irá até a casa do morador para uma vistoria que apontará quantidade e tipo de material necessário. Depois disso, serão entregues telhas e demais itens. Nesta segunda, mais de 200 pessoas se cadastraram.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros