Codeca estuda ampliar coleta de lixo com contêineres subterrâneos - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Limpeza urbana08/04/2019 | 14h15Atualizada em 08/04/2019 | 14h15

Codeca estuda ampliar coleta de lixo com contêineres subterrâneos

Atualmente, sistema opera na Rua Alfredo Chaves, em frente há prefeitura

Codeca estuda ampliar coleta de lixo com contêineres subterrâneos André Fiedler/Agência RBS
Contêiner implantado em 2013 fica na Rua Alfredo Chaves, em frente à prefeitura de Caxias Foto: André Fiedler / Agência RBS

A Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca) estuda ampliar a coleta mecanizada de lixo por meio de contêineres subterrâneos. A cidade já conta com um coletor desse sistema para lixo orgânico, implantado como teste em outubro de 2013, na Rua Alfredo Chaves, em frente à prefeitura.

Leia mais
Contêiner subterrâneo de lixo é testado na Rua Alfredo Chaves, em Caxias do Sul
Contêiner de lixo subterrâneo entra em funcionamento nesta quinta-feira, em Caxias

De acordo com o gerente do Departamento de Limpeza Urbana da empresa, Ricardo Becker, a quantidade de contêineres e os locais a serem instalados dependem de estudos orçamentários e de viabilidade técnica. Isso porque é necessário escavar a calçada, o que pode exigir deslocamento de tubulações ou até detonações de rocha, em alguns casos. A intenção, caso seja viável, é implantar o segundo contêiner do tipo na Praça Dante Alighieri, por ser o coração da cidade.

O sistema consiste em um coletor enterrado na calçada e um bocal com tampa para o depósito dos resíduos. O recolhimento é realizado por caminhão após o contêiner ser elevado por um mecanismo hidráulico acionado por controle remoto. O veículo utilizado é o mesmo que opera nos contêineres tradicionais.

— O volume do contêiner é praticamente igual (aos atuais), mas não tem lixo aparente, não tem cheiro. Não é um projeto que está morto, mas ele exige custo de manutenção e de implantação — explica.

O contêiner já existente chegou a ficar desativado nos últimos anos, mas foi retomado há cerca de seis meses. O sistema, que apresentava problemas de manutenção, passou por limpeza e reparos. A coleta, porém, ainda ocorre de forma manual aos domingos ou durante a madrugada. O motivo é o furto da bomba elétrica que drenava a água que se acumula em torno da caçamba. Sem a retirada da água, não é possível ativar o sistema hidráulico que eleva o contêiner. Além disso, o caminhão de coleta precisa estacionar na contramão para coletar o material, já que na época da instalação a Rua Alfredo Chaves tinha mão dupla. Segundo Becker, a expectativa é que o sistema opere de forma plena nos próximos meses, com a reativação da bomba elétrica.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros