192 motoristas são flagrados embriagados em Caxias nos três primeiros meses do ano - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Fiscalização10/04/2019 | 13h23Atualizada em 10/04/2019 | 13h23

192 motoristas são flagrados embriagados em Caxias nos três primeiros meses do ano

Número representa 9% dos 1.967 condutores que foram abordados em operações da fiscalização de trânsito  

192 motoristas são flagrados embriagados em Caxias nos três primeiros meses do ano Edenor Wiedtheuper, Fiscalização de Trânsito, Divulgação /
Embora percentual se mantenha em 9%, número de motoristas flagrados dirigindo sob efeito de bebida alcoólica reduziu 23% Foto: Edenor Wiedtheuper, Fiscalização de Trânsito, Divulgação

Os dados divulgados pela Fiscalização de Trânsito sobre o primeiro trimestre da Operação Balada Segura apontam que 192 motoristas foram flagrados dirigindo embriagados ou se recusaram a realizar o teste do bafômetro em Caxias do Sul. O número corresponde a 9% de um total de 1.967 motoristas abordados durante as 37 ações de fiscalização de irregularidades nos três primeiros meses do ano.   

O contingente é 23% abaixo do registrado nos três primeiros meses do ano passado, quando 251 motoristas foram autuados por crime de trânsito no município por conduzirem veículos após terem consumido bebida alcoólica. No entanto, o número de abordagens foi maior em 2018, com 43 operações. O titular da Secretaria de Trânsito, Cristiano Soares, afirma que as fiscalizações vão prosseguir de forma constante ao longo dos próximos meses. Ele considera que o número de motoristas flagrados ainda é significativo, diante das possibilidades de utilização de outros meios de transporte.  

— Ainda temos um percentual muito alto de motoristas dirigindo sob efeito de álcool, ou seja, a cada 100 pessoas, nove estão dirigindo embriagadas. É um tipo de comportamento que deve mudar, pois meios de locomoção alternativos existem. A gente não entende o motivo dessa insistência de alguns motoristas – lamenta o secretário.  

Ainda conforme Soares, é importante esclarecer que as operações não servem somente para identificação de motoristas embriagados, mas também para o combate à criminalidade. Ele critica a divulgação das operações por usuários de aplicativos de mensagens e solicita à população que evite esse tipo de prática.

—  A Operação Balada Segura também ajuda a identificar pessoas em situação de crime e tem uma função estratégica muito importante de segurança. então as pessoas não podem divulgar. Temos presos que estão foragidos, pessoas com porte ilegal de arma de fogo e outros crimes que são identificados por meio da fiscalização — explica o secretário. 

Além dos flagrantes de embriaguez ao volante, no período foram identificados 92 veículos circulando com licenciamento vencido. Foram flagradas dirigindo sem habilitação 85 pessoas. Também foram flagrados 27 condutores com carteira suspensa e 24 com habilitação cassada.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estipula que dirigir sob influência de álcool é uma infração gravíssima e prevê suspensão do direito de dirigir por 12 meses, com recolhimento do veículo e aplicação de multa de R$ 2.934,70. A mesma punição é prevista para os motoristas que se recusam a realizar o teste do bafômetro.  

Divulgar blitz também é crime  

A divulgação do local de blitz é uma prática que está inserida no Código Penal. O artigo 265 considera que “atentar contra a segurança ou o funcionamento de serviço de água, luz, força ou calor, ou qualquer outro de utilidade pública” é um delito sem direito a fiança em caso de flagrante. A pena é de reclusão de um a cinco anos, e multa.  

Em dezembro de 2017, 17 moradores de Vacaria foram indiciados pela polícia por avisar nas redes sociais sobre ações policiais na região. 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros