Aumenta número de focos do mosquito Aedes aegypti em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Saúde15/03/2019 | 15h08Atualizada em 15/03/2019 | 15h36

Aumenta número de focos do mosquito Aedes aegypti em Caxias do Sul

Dois novos criadouros foram encontrados nos bairros Presidente Vargas e Santa Lúcia Cohab

Aumenta número de focos do mosquito Aedes aegypti em Caxias do Sul Felipe Nyland/Agencia RBS
Aedes aegypti é transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

A localização de dois novos focos do mosquito Aedes aegypti elevou para 16 a quantidade de criadouros encontrados neste ano pela Vigilância Ambiental de Caxias do Sul. O número é semelhante ao registrado em todo 2018, quando foram 17 casos. 

Os novos focos foram localizados nos bairros Presidente Vargas e Santa Lúcia Cohab. Conforme a Secretaria Municipal da Saúde, os agentes de combate às endemias identificaram os insetos já na vida adulta em visitas de rotina a um estabelecimento comercial e a uma residência. O Aedes aegypti é transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya. 

Estes são os dois primeiros focos encontrados no mês de março. Até fevereiro, o número de criadouros somava 14 em sete bairros: Alvorada (3), Bela Vista (1), Desvio Rizzo (1), Esplanada (4), Mariani (1), Salgado Filho (1) e Santa Lúcia Cohab (3).

Leia mais
Número de criadouros de Aedes aegypti em Caxias neste ano já é quase o mesmo do total de 2018

O coordenador da Vigilância Ambiental, Rogério Poletto, ressalta que isso demonstra que o mosquito está circulando em diversos pontos da cidade. Segundo ele, uma possibilidade para o grande número de registros é o fato do verão 2019 estar muito chuvoso. Por isso, ele recomenda atenção redobrada aos moradores da cidade.

Em um raio de 300 metros dos locais onde focos são encontrados, a Vigilância Ambiental faz um trabalho mais intenso de inspeção. Equipes reforçam as visitas para garantir que o problema não se alastre. 

Dicas de prevenção

- Limpar com escovação semanal o recipiente de água dos animais domésticos;
- Recolher o lixo do pátio;
- Colocar o lixo ensacado para ser recolhido pela Codeca;
- Recolher pneus inservíveis e armazená-los em locais secos e protegidos da chuva; ou encaminhar ao Ecoponto da Codeca (tem custo de R$ 1,65 por pneu, para o morador que entregar o pneu seco na Codeca);
- Tampar caixas d'água;
- Colocar telas milimétricas em caixas d'água descobertas, reservatórios de captação de água da chuva e nos ralos;
- Limpar as calhas;
- Semanalmente, lavar e escovar piscinas plásticas, trocando a água;
- Eliminar os pratinhos das plantas.

Leia também
DNIT ativa primeira lombada eletrônica na BR-470, na Serra
Preço da gasolina em Farroupilha chega a ser R$ 0,20 mais barato do que em Caxias
Suspeito de cometer nove estupros em Vacaria é preso em Santa Catarina

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros