Projeto de obras no Instituto Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, será revisto - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Mais uma vez18/02/2019 | 14h55Atualizada em 18/02/2019 | 14h55

Projeto de obras no Instituto Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, será revisto

Secretário da Educação do Estado avalia que governo deixará de aplicar recurso de R$ 30 milhões que seriam destinados à reforma e ampliação do prédio

Projeto de obras no Instituto Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, será revisto Antonio Valiente/Agencia RBS
Escola aguarda obras pelo menos desde 2016 Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

 As obras no Instituto Estadual de Educação Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, terão uma nova adequação de projeto. O motivo é a provável perda de quase R$ 30 milhões de um empréstimo com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird). O recurso está reservado até 28 de fevereiro e, embora o Governo do Estado trabalhe para prorrogar o prazo, o próprio secretário da Educação, Faisal Karam, avalia que a possibilidade de isso ocorrer é baixa. 

— Não teremos mais recursos para investir nesse montante. Então, dentro da realidade do governo, refaremos uma discussão interna do que é prioridade em um primeiro momento, do que é possível ser feito para que a escola tenha ao longo do próximos 18 meses o coração dela restaurada, recuperada. Enquanto isso, nós vamos fazendo a captação de recursos para fazer o complemento ao longo do tempo — afirmou o secretário em visita à escola nesta segunda-feira (18). 

Ele avalia que o primeiro passo deve ser obras em áreas de circulação constante dos estudantes. Conforme o secretário, outros pontos, como cobertura de quadra esportiva, devem ser reavaliados. O tempo que demorará para a reforma iniciar ainda é uma incógnita. Segundo o secretário, após a situação ser avaliada por técnicos, será feito o encaminhamento para a Secretaria da Fazenda. Ele diz que o dinheiro sairá do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. 

A licitação para as obras de quase R$ 30 milhões chegou a ser lançada, mas foi suspensa por causa do decreto de contingenciamento de recursos do Governo do Estado. Além de intervenções na estrutura atual, que sofre com rachaduras, goteiras e outros problemas, previa a ampliação do prédio.

A reforma do Cristóvão de Mendoza é uma promessa desde 2012, quando foi incluída no Plano de Necessidades de Obras. Sem saírem do papel, as intervenções voltaram a ser uma promessa em 2016. Estudantes fizeram a ocupação do prédio durante uma mobilização nacional e a liberação do prédio ficou condicionada ao início de obras com conclusão em 2017. O acordo foi firmado com auxílio do Ministério Público. No entanto, mais uma vez, nada aconteceu e o prédio continuou se deteriorando. As alegações do Governo do Estado para o atraso foram entraves burocráticos até que, no ano passado, a licitação foi lançada, mas acabou suspensa antes da conclusão. 

— Nós estamos céticos, mas não deixaremos de ser vigilantes e fazer pressão — disse a diretora, Roseli Bergozza, após a visita do secretário.

Leia mais
Mutirão une gerações e gera reencontros em ação de limpeza e restauro de Cristóvão, em Caxias
Sem reformas há cerca de 28 anos, prédio de Instituto Cristóvão de Mendoza corre sérios riscos estruturais
Decreto de contenção de gastos do Estado suspende licitação para reforma da escola Cristóvão de Mendoza
Projeto de reforma do Instituto Cristóvão de Mendoza, em Caxias, é encaminhado para licitação

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros