Mutirão terá roçada, reparos em parquinho e na quadra de esportes do Cristóvão, em Caxias - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Sem garantia de reforma07/02/2019 | 06h30Atualizada em 07/02/2019 | 13h39

Mutirão terá roçada, reparos em parquinho e na quadra de esportes do Cristóvão, em Caxias

Atividade voluntária envolverá cerca de 50 pessoas neste sábado

Mutirão terá roçada, reparos em parquinho e na quadra de esportes do Cristóvão, em Caxias Lucas Amorelli/Agencia RBS
Estado não garantiu reforma estrutural avaliada em R$ 30 milhões Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A suspensão da licitação para a reforma do Instituto Estadual de Educação Cristóvão de Mendoza, em Caxias do Sul, foi uma decepção para alunos, pais e professores, mas ao mesmo tempo teve um efeito motivacional. Neste sábado, mais de 50 voluntários passarão a manhã e a tarde na escola para cortar grama, roçar mato, consertar brinquedos, pintar o muro, a quadra de esportes e a área de lazer. 

O mutirão não resolverá os graves problemas estruturais, mas é uma maneira de abraçar o Cristóvão e dar as boas-vindas na retomada do ano letivo. O grupo estende o convite para outras pessoas dispostas a ajudar no embelezamento ou apoiar os voluntários com doações de dinheirou ou materiais como sacos de lixo, alimentação para os voluntários e copos descartáveis.

Leia mais
Sem reformas há cerca de 28 anos, prédio de Instituto Cristóvão de Mendoza corre sérios riscos estruturais
MP orienta Estado a retomar licitação para obras na escola Cristóvão de Mendoza
Decreto de contenção de gastos do Estado suspende licitação para reforma da escola Cristóvão de Mendoza 
Governador afirma dificuldade em obter autorização para prorrogar financiamento de obras em escola de Caxias

A mobilização começou nas redes sociais por meio de ex-alunos, logo após a confirmação de que a reforma do Cristóvão, orçada em R$ 30 milhões, não estava garantida pelo governo de Eduardo Leite. O grupo ficou incomodado com a notícia e quer mostrar a comunidade que não é refém da burocracia ou das promessas de governantes. Em pouco tempo, a iniciativa teve a adesão do grupo de segurança Cinquentenário em Alerta, de vizinhos da escola, de alunos e da diretora Roseli Bergozza. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 05/02/2019. Voluntários que farão um mutirão no próximo sábado para uma revitalização do colégio Cristóvão de Mendoza. (Porthus Junior/Agência RBS)
Neste sábado, mais de 50 voluntários passarão a manhã e a tarde na escola para cortar grama, roçar mato, consertar brinquedosFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

Entre os voluntários está o vice-presidente do grêmio estudantil da escola, Anderson Borges, e a analista de produto Luciane Mallmann Pretto, 38 anos, estudante do Cristóvão de 1987 a 1998. Luciane mora no Cinquentenário e ficou impactada com a degradação nos fundos do terreno. O mato tomou conta de espaços que antigamente eram usados pelos alunos para brincadeiras e outras atividades. 

— Quem passa por ali vê que está muito triste. Vejo a realidade todos os dias. Por isso, vamos fazer pequenas ações de manutenção. Se alguém quiser aparecer para servir o almoço, água ou até mesmo ajudar a pintar será bem recebido — diz a analista de produto.

Além do embelezamento, o grupo está articulando contatos com políticos na Assembleia e em Caxias do Sul para que busquem soluções com o governo gaúcho. Nesta quinta-feira, às 8h30min, representantes do mutirão devem falar sobre o tema na Câmara de Vereadores. Para que tudo corra bem, foram listadas as atividades de cada voluntário e os materiais necessários. O acesso à escola será controlada por pessoas na portaria. Quem quiser saber mais sobre a atividade, pode contatar Luciane pelo telefone (54) 99999-0146.

A POLÊMICA

:: Apesar do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) ter sinalizado o financiamento da obra, a reforma do Cristóvão foi suspensa no dia 10 de janeiro por meio de um decreto de suspensão de gastos do governo gaúcho. 

:: O prazo do contrato do empréstimo encerraria em março, mas Eduardo Leite comentou, na semana passada, que terá dificuldade em prorrogar o financiamento. 

:: Ao falar sobre a dívida do Estado, ele afirmou que, além de impedir a contratação de novos empréstimos, existe um "embaraço" para conseguir a prorrogação de contratos já firmados, como é o caso da escola de Caxias. 

:: As melhorias são ainda um compromisso assumido pelo Estado, com o intermédio do Ministério Público (MP), durante a ocupação de alunos em 2016. O prazo estabelecido era meados de 2017. 

Leia também
Campanha arrecada material escolar para crianças pobres de Caxias do Sul 
Além do telhado, novo projeto inclui substituição do piso de parte do Museu Municipal de Caxias do Sul
Barragens de Caxias do Sul vão ganhar plano de segurança em 2019

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros