Vídeo: como ficou o apartamento atingido por explosão em Farroupilha - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Dez dias depois03/01/2019 | 20h40Atualizada em 03/01/2019 | 20h40

Vídeo: como ficou o apartamento atingido por explosão em Farroupilha

O 302 do Edifício Veneto foi praticamente destruído, restaram apenas as paredes

Vídeo: como ficou o apartamento atingido por explosão em Farroupilha Antonio Valiente/Agencia RBS
A sacada da sala e da suite do 302 demonstram a destruição causada pela explosão do dia 24 de dezembro Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Dez dias depois da explosão seguida de incêndio que praticamente destruiu um apartamento e danificou severamente outros dois no Edifício Veneto, no centro de Farroupilha, a reportagem voltou ao local na tarde de ontem e acompanhou o trabalho que está sendo feito pela empresa Verona Engenharia, contratada para avaliar os danos e elaborar o projeto de reforma do prédio.

O cenário deixado pelo acidente começa a se mostrar à medida que se sobe as escadas acima das sobrelojas em direção aos quatro últimos pavimentos onde ficam localizados os apartamentos. O elevador já está funcionando, mas não pode ser utilizado por questão de segurança. Os degraus de pedra branca ainda mantêm resíduos da fuligem, que também é visível em escorridos nas paredes que circundam a escadaria, em função do contato com a água ou de vazamentos ou dos jatos dos bombeiros ao conter as chamas. Nos corredores do quarto, quinto e sexto andares, o preto toma conta do teto recoberto de fuligem. Mas os danos foram visivelmente maiores no quinto pavimento, onde fica o apartamento 302, local da explosão. Os quadros que enfeitavam as paredes da área de circulação estão no chão, aos pedações. Há cacos de vidro e muita fuligem. O cheiro da fumaça parece impregnado no ambiente todo.

 FARROUPILHA, RS, NRASIL. (03/01/2019)Dez dias depois da explosão seguida de incêndio que atingiu o Edifício Veneto, no centro de Farroupilha, a empresa Verona Engenharia faz avaliação do local para indicar quais as reformas são necessárias para reconstruir ou reformar os apartamentos danificados. (Antonio Valiente/Agência RBS)
O engenheiro Césio Verona Filho faz parte da equipe que está analisando todos os apartamentos e salas comerciais do VenetoFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Poucos moradores retornaram a seus apartamentos, em torno de três famílias. Onde conseguimos entrar, a sensação é mesmo de abandono. Os objetos ainda estão revolvidos, móveis desarrumados. Alguns locais têm rachaduras ou fissuras nas paredes, mas nem todas têm relação com a explosão, já estavam lá antes do episódio. Além do 302, os apartamentos abaixo (202) e acima (402) permanecem interditados pelos bombeiros após avaliação da equipe de engenharia da empresa e da Defesa Civil. As portas foram lacradas com tapumes e o acesso não foi permitido. Um vídeo feito pela equipe de engenharia mostra como ficou o 302 após a explosão. Eles são os únicos que estão sem fornecimento de energia elétrica, água e gás – nos demais o abastecimento foi restabelecido. Uma empresa está verificando toda a tubulação de gás para certificar de que não há vazamentos.

 FARROUPILHA, RS, NRASIL. (03/01/2019)Dez dias depois da explosão seguida de incêndio que atingiu o Edifício Veneto, no centro de Farroupilha, a empresa Verona Engenharia faz avaliação do local para indicar quais as reformas são necessárias para reconstruir ou reformar os apartamentos danificados. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Tubulação de gás central está sendo inspecionada para certificar que não há vazamentosFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Necessidade de reforço estrutural

Da sacada do 303, é possível ver a destruição na sacada do vizinho. A onda de ar gerada pela explosão projetou parte do reboco do 302 contra o prédio que fica no outro lado da rua e os estilhaços rebateram e voltaram ao 303, quebrando os vidros que circundavam a sacada.

 FARROUPILHA, RS, NRASIL. (03/01/2019)Dez dias depois da explosão seguida de incêndio que atingiu o Edifício Veneto, no centro de Farroupilha, a empresa Verona Engenharia faz avaliação do local para indicar quais as reformas são necessárias para reconstruir ou reformar os apartamentos danificados. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Engenheiro Césio Verona explica que algumas rachaduras são antigas, não foram causadas pelo impacto da explosãoFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

– O apartamento sinistrado está praticamente destruído. Sobraram paredes, uma parte delas, e tão somente isso. O restante tem de ser refeito. É preciso fazer todos os revestimentos, todas as aberturas, pisos, forros, inclusive, o reforço na laje do forro da sala de jantar e estar e da cozinha, onde o incêndio foi mais forte, teve maior impacto. A ferragem da laje, ou dessas lajes, escoou, então, houve a deformação da ferragem. Tem de fazer o reforço estrutural para posterior uso – explica o engenheiro civil Césio Verona.

No 202, por exemplo, a avaliação aponta que é preciso substituir pisos, janelas e portas, gesso do teto de algumas peças e restaurar fissuras. Parte da rua em frente ao edifício permanece isolada, mas as lojas e sobrelojas estão com o acesso livre – e funcionando – sob a marquise que não teve a estrutura alterada e, além disso, serve de proteção a quem passa pela calçada.

Leia mais
Empresa avalia quais reformas são necessárias em prédio atingido por explosão em Farroupilha
Salas comerciais reabrem em prédio atingido por explosão em Farroupilha há uma semana
Bombeiros não têm escada Magirus em operação na Serra
"O carro não interessa, o que vale é a vida", diz dono de Corolla destruído por escombros
Vídeo: Confira o momento em que apartamento explode em Farroupilha  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros