Prefeitura não vai terceirizar veículos em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde08/11/2018 | 18h15Atualizada em 08/11/2018 | 18h20

Prefeitura não vai terceirizar veículos em Caxias do Sul

Servidores denunciaram que déficit de carros prejudica serviços de saúde pública

Prefeitura não vai terceirizar veículos em Caxias do Sul Pedro César Vogevodovas da Cunha/Divulgação
As ações de combate ao borrachudo foram retomadas neste mês. Na foto, o agente Everton Brito de Oliveira fazendo aplicação de produto em Fazenda Souza na manhã desta quarta-feira Foto: Pedro César Vogevodovas da Cunha / Divulgação

A prefeitura de Caxias do Sul afirmou nesta quinta-feira que não vai terceirizar o fornecimento de carros e motoristas para a Secretaria de Saúde. O problema da redução de veículos e o impacto em serviços de saúde pública foram expostos na edição de quinta do Pioneiro. Apenas na Vigilância Ambiental, responsável pelo combate ao Aedes aegypti na área urbana e ao mosquito borrachudo no interior e também pela verificação de denúncias de água parada e de maus-tratos aos animais, entre outras, teve o número de carros reduzido de 16, no primeiro trimestre de 2017, para três atuais. Servidores disseram que alguns desses serviços foram praticamente abandonados.

Leia mais:
Sem veículos, serviços da saúde estão prejudicados em Caxias do Sul

O secretário interino de Saúde, Júlio César Freitas, avalia que a solução do problema passa pela organização de fluxos internos do que ele chamou de "bagunça que está esta questão dos veículos dentro da secretaria."

– Temos de nos organizar com a frota que temos no município. Temos de reorganizar todos os fluxos. Hoje, não sei se há necessidade a mais. Sei que não tem controle e, isso, temos de terminar – pondera o secretário, que coordena a pasta há menos de um mês.

Nesse sentido, uma das medidas tomadas, segundo Freitas, foi a determinação à central de veículos da Saúde, que possui 22 carros, de que não atenda mais a demandas de outros órgãos. Solicitações desse tipo têm de ser analisadas individualmente pelo secretário.

Freitas diz, ainda, que recebeu pedido de veículos para as vigilâncias sanitária e ambiental na última terça e que, nesta quinta, emitiria um documento à central de veículos para que dentro das possibilidades atenda às solicitações das vigilâncias e que os serviços não sejam prejudicados. O assunto também seria tratado em reunião à tarde com o prefeito e os secretários de Obras e de Recursos Humanos e Logística. A ideia é verificar a viabilidade de auxílio de outras secretarias em relação aos veículos. O secretário não descarta, a médio prazo, aumentar a frota da central de veículos.

– Não vai haver contratação de empresa privada para fornecer veículos. Temos a responsabilidade de achar alternativas para que não seja prejudicado (o serviço) e, se já está sendo, vamos verificar. Vamos identificar os problemas, os gargalos e vamos ajustar fluxos. Só que os ajustes não ocorrem da noite para o dia – concluiu o gestor.

Na tarde desta quinta-feira, a Câmara de Vereadores informou que fez a doação de um veículo ao Executivo, em julho deste ano, preferencialmente, para ser usado nas áreas da saúde ou educação. Segundo o Legislativo, houve manifestação de interesse por parte da administração municipal, mas até o momento a prefeitura ainda não retirou o carro.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros