Prefeitura de Farroupilha decreta situação de emergência 15 dias após temporal - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 

Prejuízo de R$ 26 milhões15/11/2018 | 14h00Atualizada em 15/11/2018 | 14h16

Prefeitura de Farroupilha decreta situação de emergência 15 dias após temporal

Objetivo é disponibilizar documento oficial para que produtores renegociem dívidas

Prefeitura de Farroupilha decreta situação de emergência 15 dias após temporal Willian Heintze/Emater,Divulgação
Prejuízo geral em lavouras da Serra foi calculado em R$ 345 milhões Foto: Willian Heintze / Emater,Divulgação

A prefeitura de Farroupilha decretou situação de emergência nesta quarta-feira (14) em função do temporal que causou estragos na agricultura no dia 31 de outubro. O prejuízo direto com as perdas nas lavouras é calculado em R$ 26 milhões. A administração municipal utilizou todo o prazo de 15 dias corridos para assinar o decreto.

Leia mais
Balanço: o prejuízo causado pelo granizo na agricultura da Serra

Conforme o coordenador da Defesa Civil, Gilberto do Amarante, não há expectativa de que o município receba recursos estaduais ou federais, mas o objetivo - a exemplo de outros municípios da Serra que já assinaram decreto - é de disponibilizar um documento oficial aos agricultores atingidos para que eles possam renegociar dívidas com os bancos. Além do prejuízo direto, também é estimada uma queda de 20% a 30% na produtividade de pomares atingidos na safra seguinte.

Embora as localidades de Linha Ely e Linha Müller tenham sido bastante afetadas pelo temporal, a região onde houve mais estragos na agricultura foi a de Linha Jacinto.

— Em Linha Ely e Linha Müller, o maior problema foi o vento, que causou perdas ao derrubar parreiras, além de danificar a rede elétrica. Mas o maior prejuízo foi em Linha Jacinto, porque aquela região foi mais atingida pelo granizo — explica Amarante.

Na região da Serra, a Emater calculou um prejuízo total de R$ 345 milhões. O maior volume de perdas diretas em um município foi registrado em Flores da Cunha, com R$ 70 milhões de prejuízo. Um dos maiores impactos econômicos na região foi em Nova Pádua, onde o prejuízo de R$ 45 milhões superou a metade do PIB do município, de cerca de R$ 80 milhões. As perdas deverão se refletir em um maior preço da uva nesta safra. 

Leia também
Semelhança entre horários dos tremores em Caxias ainda é um mistério
Empresário sugere que polícia centralize esforços em Porto Alegre e Caxias
Agendamento para confecção de carteira de identidade demora mais de mês em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros