Prédio de museu é tombado como patrimônio histórico de Flores da Cunha - Geral - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Preservação20/11/2018 | 17h30Atualizada em 20/11/2018 | 17h30

Prédio de museu é tombado como patrimônio histórico de Flores da Cunha

Espaço, que já foi sede da prefeitura, deve ser restaurado

Prédio de museu é tombado como patrimônio histórico de Flores da Cunha Évila Vanessa Vicente/Divulgação
Museu conta com 2,5 mil peças doadas pela comunidade Foto: Évila Vanessa Vicente / Divulgação

O prédio do Museu e Arquivo Histórico Pedro Rossi, em Flores da Cunha, foi tombado como patrimônio municipal nesta terça-feira (20).  Construída na década de 1940 no centro da cidade, a edificação já foi sede da prefeitura do município e tem fortes características do estilo Art Decó, que terão de ser preservadas por causa do tombamento histórico e cultural. O desenvolvimento de um laudo técnico para embasar o projeto para restauro do espaço está em andamento. 

A presidente da Associação de Amigos do Museu e Arquivo Histórico Pedro, Lorete Calza Paludo, afirma que a principal intervenção deve ser a pintura do prédio, já que a cor atual não corresponde à original. A prefeitura contratou uma empresa que está levantando dados sobre problemas no prédio. O laudo vai apontar o reboco e a tinta indicados para a recuperação do local, além de mostrar problemas como umidade e cupins. As condições estruturais do telhado e pisos também são avaliadas. Com esse laudo, a ideia é desenvolver o projeto para buscar recursos por meio de leis de incentivo à cultura para fazer as intervenções no local.

O museu conta com 2,5 mil peças doadas pela comunidade e selecionadas por meio da Comissão de Acervo. Os itens lembram a história da colonização italiana no município. 

Este é o segundo tombamento do patrimônio histórico e cultural de Flores da Cunha. O primeiro ocorreu em agosto, quando  o antigo cemitério antigo da Capela São Martinho, no Travessão Martins, passou a ser denominado Campo Santo dos Imigrantes.

Histórico do museu

  •  A edificação foi erguida entre 1943 e 1945 e inaugurada em fevereiro de 1946 como sede da prefeitura de Flores da Cunha. 
  • Em 1985, a prefeitura foi transferida para o recém adquirido Convento dos Padres Lassalistas. Depois de ficar fechada por um ano, a antiga sede do Poder Executivo Municipal é reaberta abrigando o Museu da Imigração, que havia sido criado em 1976 e fechado em 1978 por não ter sede própria. Também é instituído o Arquivo Histórico Municipal Florense. Em 26 de maio de 1986 aconteceu a reinauguração, quando o museu passou a ser denominado Museu e Arquivo Histórico Florense.
  • Em maio de 1996, passou a funcionar também neste local a Biblioteca Pública Municipal.
  • Em 2003, passou a se chamar Museu e Arquivo Histórico Pedro Rossi. Trata-se de uma homenagem ao professor de História e Geografia, que foi o primeiro prefeito eleito democraticamente no município.
  • Desde 2005, conta com a com o apoio da Associação de Amigos do Museu e Arquivo Histórico Municipal que faz serviços voluntários e ações em prol da preservação do patrimônio. 

Leia também:
Assinado termo de cooperação  para desenvolver turismo em Caxias do Sul
"Os colegas estão abalados", diz único médico cubano que ficará em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros