Parada Livre termina em protesto na frente da prefeitura de Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Diversidade25/11/2018 | 20h51Atualizada em 26/11/2018 | 07h24

Parada Livre termina em protesto na frente da prefeitura de Caxias do Sul

Grupo fez caminhada contra veto do prefeito Daniel Guerra que proibiu realização do evento em locais públicos

Parada Livre termina em protesto na frente da prefeitura de Caxias do Sul Lucas Amorelli/Agencia RBS
Depois da parada livre, os participantes seguiram em direção a prefeitura passando pelo parque dos macaquinhos, onde fizeram um "beijasso" em protesto ao prefeito Daniel Guerra que queria proibir o evento nesta tarde Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS
Pioneiro

A Parada Livre de Caxias do Sul terminou em protesto no início da noite deste domingo. Cerca de 300 pessoas deixaram o local da festa, um estacionamento privado na esquina da Rua Os Dezoito do Forte com a Marechal Floriano, em São Pelegrino, e seguiram em caminhada pelas ruas do Centro até à prefeitura, no bairro Exposição.

O grupo manifestou o descontentamento contra o veto do prefeito Daniel Guerra (PRB) pelo uso da Rua Marquês do Herval, ao lado da Praça Dante Alighieri, para a realização da festa. Guerra também negou autorização para o evento na Praça das Feiras e na Rua Plácido de Castro, em frente a Maesa.

 Leia mais
Organização da Parada Livre de Caxias denuncia no MP veto do evento em locais públicos
Prefeitura de Caxias não autoriza realização da Parada Livre na Praça Dante Alighieri
Mesmo em novo local, Parada Livre espera receber 10 mil pessoas em Caxias
Colorida e divertida, Parada Livre atrai bom público em Caxias, mas visibilidade é menor

O município sugeriu a realização do evento no Centro Cultural Dr. Henrique Ordovás Filho, no bairro Panazzolo. Os organizadores rejeitaram a proposta alegando falta de espaço. 

Na manifestação no estacionamento da prefeitura, os participantes da Parada Livre dançaram e fizeram coro de forma organizada.

— Não queremos bagunça. Não pisem nas plantas, não danifiquem nada. Vamos mostrar que temos respeito e que queremos igualdade — bradou um dos animadores da manifestação.

Roberto Desobedeça citou o fato de o protesto ocorrer num dia em que a prefeitura está fechada:

— Mesmo que hoje não seja dia de expediente, é necessário que a gente diga que estamos aqui para Daniel Guerra. É simbólico. Num domingo também sofremos preconceito porque éramos para estar na praça. 

Leia também
Menina morre em colisão na BR-285, em Vacaria
Praça Dante Alighieri começa a receber decoração natalina, em Caxias do Sul
Saiba quais foram os destaques do MDBF 2019, em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros