"Onde estivesse, a Maria Eduarda fazia o ambiente ficar alegre" comenta tio de menina morta em acidente em Vacaria - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Luto26/11/2018 | 10h11Atualizada em 26/11/2018 | 10h11

"Onde estivesse, a Maria Eduarda fazia o ambiente ficar alegre" comenta tio de menina morta em acidente em Vacaria

Maria Eduarda Souza do Rosário,12 anos, dançava no CTG e sonhava em ser médica

"Onde estivesse, a Maria Eduarda fazia o ambiente ficar alegre" comenta tio de menina morta em acidente em Vacaria facebook/Reprodução
"Dizia que queria ser médica para poder cuidar dos pais, mas ela tinha um dom especial com animais, onde ela ia os animais se rendiam para ela", relata o tio de Maria Eduarda Foto: facebook / Reprodução
Pioneiro
Pioneiro

Percorrer o caminho até a funerária onde a sobrinha está sendo velada foi a viagem mais longa e difícil da vida do funcionário público Éder Silveira Machado, 37 anos. O choque em perder Maria Eduarda Souza do Rosário, 12 anos, em um trágico acidente é uma dura realidade difícil de acreditar um dia após o ocorrido.

— Todos estão muito abalados. Os pais estão em estado de choque — relata.

 Leia mais:  
"Era muito alegre e dedicada aos estudos", relata diretora sobre menina morta em acidente em Vacaria
Motorista envolvido em acidente com morte de criança em Vacaria é liberado após pagar fiança
Menina morre em colisão na BR-285, em Vacaria 

Ao lembrar da sobrinha, conta que a ausência dela deixará lacuna de espirituosidade e alegria que causava em qualquer ambiente em que estivesse presente:

— A Maria Eduarda era inteligente, educada, espirituosa e alegre. Fazia todo o ambiente ficar animado. Você sabia que algo de inesperado e bom iria acontecer a qualquer momento onde ela estivesse presente. Ela inspirava alegria. Era um coração que envolvia toda a família — comenta Machado.

E complementa:

—  Adorava dançar, andar a cavalo, jogar futebol, inclusive, jogava muito bem. Era muito ciumenta com os pais. Ela nunca estudava para as provas, porque sempre prestava atenção nas aulas.

Segundo relata , Maria Eduarda sonhava em ser médica, embora na percepção dele, a menina tivesse um dom particular:

— Dizia que queria ser médica para poder cuidar dos pais, mas ela tinha um dom especial com animais, onde ela ia os animais se rendiam para ela. 

Sobre as circunstâncias que ocasionaram a morte de Maria Eduarda, Machado afirma que a família não guarda rancor e não deseja mal algum para o motorista, mas espera que "justiça seja feita":

— Não desejamos mal à pessoa que causou o acidente. Só queremos que a justiça se faça por si só, que não haja impunidade. Mas não queremos que nada de mal aconteça a ele, a Maria Eduarda não gostaria que desejássemos algo assim — ressalta.

Éder Silveira Machado afirma que o luto da família é compartilhado com a preocupação simultânea com o estado de saúde do avô de Maria Eduarda, Pedro Borges do Rosário, 71 anos, ferido gravemente no mesmo acidente. 

Sem ainda estar completamente ciente da situação, Éder Silveira Machado, lamenta não ter feito tudo que queria com a sobrinha:

— Ela queria muito assistir um jogo do Grêmio. Tinha prometido que levaria ela. Pena que não deu tempo...

Família aproveitou sítio no final de semana

Há 23 anos, Alceu Borges do Rosário trabalha como agente funerário. Na maior parte desses anos, ele atua na Funerária Lovato, onde nesta segunda-feira, a sua filha, Maria Eduarda, está sendo sepultada.

— Na última semana ele (Alceu, pai da menina) me pediu para ganhar folga para que pudesse ir no sítio com a família, disse que fazia tempo que não ia para lá com a Maria Eduarda. Eles andaram a cavalo, foram no rio e brincaram um monte. Estamos todos abalados com o que aconteceu — relata o gerente da funerária, Alexandre Passos.

Passos conta que Maria Eduarda era apaixonada por danças tradicionalistas e participava ativamente do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Porteira do Rio Grande.

— O Alceu me comentou que estavam na estrada ontem (domingo) naquela hora porque pretendiam chegar mais cedo em casa, pois a Maria Eduarda tinha ensaio no CTG. Ela tinha um vestido novo que tinha sido comprado para a próxima apresentação, mas que infelizmente nunca pode usar  — acrescenta.

Leia também
Homem é morto em bar de Monte Alegre dos Campos
Parada Livre termina em protesto na frente da prefeitura de Caxias do Sul


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros