Caxias do Sul possui cerca de 400 pessoas em situação de rua   - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Assistência social28/11/2018 | 08h21Atualizada em 28/11/2018 | 08h21

Caxias do Sul possui cerca de 400 pessoas em situação de rua  

Fundação de Assistência Social promove atendimento em várias frentes para acolher pessoas em situação de vulnerabilidade que vivem nas ruas

Caxias do Sul possui cerca de 400 pessoas em situação de rua   Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Basta circular pelo ambiente urbano para notar a presença mais frequente de pessoas em situação de vulnerabilidade que não têm onde morar em Caxias do Sul. Segundo a Fundação de Assistência Social (FAS), são cerca de 400 pessoas que vivem nessa situação no município.

Esse número reflete o contingente atendido pelo Centro POP Rua e pelas três casas que oferecem moradia provisória mantidas pela FAS. O Centro realiza a primeira abordagem e efetua o direcionamento para as três unidades mantidas pela fundação que oferecem moradia provisória para os desassistidos. O trabalho realizado por educadores sociais visa identificar famílias e pessoas em situação de risco pessoal e social em espaços públicos.  

Além de pessoas em situação de rua, a abordagem dos agentes sociais também abrange a assistência aos casos de trabalho infantil e exploração sexual de crianças e adolescentes.  O POP Rua, situado na Rua Duque de Caxias, no bairro Madureira, é a unidade que realiza os chamados atendimentos em média complexidade dentro da rede de assistência da FAS, dando suporte para o armazenamento de pertences, alimentação, higiene, elaboração de documentos e desenvolvimento do convívio social entre as pessoas em situação de rua. Além disso, são realizados diversos tipos de oficinas culturais. O espaço conta com educador social, psicólogo e assistente social. Em setembro, foram 205 atendimentos efetuados. No mês de outubro, foram  229 , o que representa um aumento de 11,7% em relação ao mês anterior.  

Segundo a diretora de Alta Complexidade da Fundação, Eler Sandra de Oliveira, o Centro POP funciona como uma espécie de primeira etapa para o encaminhamento a albergues da FAS. De acordo com ela, nem todos os casos são encaminhados para as casas que oferecem moradia provisória em Caxias do Sul. Isso ocorre, segundo ela, porque alguns preferem viver nas ruas e se sentem ameaçados com a abordagem de outras pessoas.  

— Muitas intervenções começam na rua, a gente se apresenta e vai aos poucos ganhando a confiança deles. Muitos (das pessoas em situação de rua) conhecem os educadores, a gente faz uma espécie de sensibilização, não somente com o intuito de retirá-los das ruas, mas para ajudar de um modo geral. O desejo de estar em um ambiente de acolhimento precisa ser construído, quando a pessoa está na rua tem muitas questões na vida que estão fragilizadas e não estão interessadas naquilo que desconhecem – salienta.  

Esse “desconhecimento” advém da incapacidade de visualizar perspectivas de melhora das condições de vida. A falta de autoestima é um fator que interfere no método de abordagem dos agentes sociais. Em muitos casos, o trabalho é gradual por conta da resistência natural dessas pessoas. Manifestações de intolerância e violência são muito comuns.  

— É mais fácil enxergá-los na zona central da cidade porque é uma zona que concentra circulação de pessoas e dá maiores condições de sobrevivência. Por isso que muitos permanecem em grupos, para ter maior segurança e não roubarem seus pertences ou serem vítimas de violência. Muitos dormem durante o dia porque é mais seguro – explica Eler. 

São três casas que oferecem possibilidade de permanência a pessoas sem moradia no município e operam sempre próximo à capacidade total de ocupação. O antigo Albergue municipal, hoje chamado de Casa São Miguel, localizado no bairro Fátima Alto, possui 40 vagas, e a Casa São Francisco, no Cinquentenário, dispõe de 30 lugares. Também executa o mesmo trabalho de acolhimento a Casa de Passagem, que oferece 50 vagas para pessoas sem moradia que precisam de acolhimento emergencial e mais rápido. Nessas três unidades, as pessoas atendidas podem permanecer até três meses.  

Leia também
Escolas que foram reformadas, segundo a prefeitura, só tiveram reparos pontuais em Caxias
Mirante: eleitor que fotografou voto em Caxias pagará multa de R$ 1,5 mil
Reforço para garantir a tranquilidade nas compras de Caxias do Sul

Reforço para garantir a tranquilidade nas compras de Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros