Aos cinco anos, Melissa tem doença rara que a impede de comer. Saiba como ajudar - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Vaquinha18/11/2018 | 21h22Atualizada em 19/11/2018 | 14h32

Aos cinco anos, Melissa tem doença rara que a impede de comer. Saiba como ajudar

Caxiense está hospitalizada, família precisa buscar tratamento que pode estar em São Paulo

Aos cinco anos, Melissa tem doença rara que a impede de comer. Saiba como ajudar Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Melissa Hoffman, cinco anos, tem dificuldade em lembrar qual é seu prato predileto. Quando perguntada, ela sugere purê de batata, sopa ou chá — porque, segundo a mãe, essas são as refeições mais recentes que a menina fez. Mas já faz meses que o cardápio de Melissa não contempla sequer sopa. Isso porque a gravidade de um problema cujo diagnóstico ainda não é definitivo, mas que se caracteriza pela obstrução intestinal, impede que a menina consuma qualquer tipo de alimento. Como não tem capacidade de fazer digestão, Melissa depende de alimentação parenteral. Enquanto isso, ela sonha:

— Eu gostava da massa que a mãe fazia, né, mãe? Tinha carne, era muito boa.

Melissa é filha da confeiteira Patrícia Ribeiro e do metalúrgico Wagner Hoffman. Eles moram no bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul, com outros dois filhos, também pequenos. Amigos começaram uma mobilização que quer arrecadar dinheiro para bancar consultas e possíveis internações em São Paulo. Além de um pedágio que ocorrerá dia 15 de dezembro, no centro de Caxias, uma vaquinha lançada virtualmente tem como meta alcançar R$ 20 mil. Melissa tem plano de saúde, mas ainda não está garantido o custeio dessa investigação médica que os profissionais locais sugerem que seja feita no Hospital Israelita Albert Einstein, referência para doenças desse tipo. Além disso, haverá gastos de deslocamento, alimentação e hospedagem da família. Desde que a menina adoeceu, a mãe precisou interromper seu trabalho. Só neste ano, Mel, como é carinhosamente chamada nos corredores do Hospital do Círculo, já ficou hospitalizada por, pelo menos, seis vezes. 

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 08/11/2018. Melissa Hoffman, cinco anos, sofre de doença não diagnosticada mas que impede de se alimentar há pelo menos um ano. Vaquinha e pedágio solidário buscam arrecadar recursos para o tratamento. (Lucas Amorelli/Agência RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

— Cada internação dela dura, em média, um mês. Não tenho como assumir um trabalho porque nunca sabemos como ela estará amanhã — diz a mãe.

Mel é uma menina doce e que, na maior parte do tempo, colore livros. Apesar da difícil história de superação, Melissa mantêm-se forte e rodeada de novas amizades: basta entrar no quarto que ocupa no hospital que, em poucos minutos, ela conquista enfermeiras, fisioterapeutas, médicos e quem quer que a visite. A menina quer ficar bem logo porque tem um sonho:

— Ano que vem, eu vou ir para a escola, né, mamãe?

A DOENÇA

:: Ainda que não haja um diagnóstico definido sobre o caso de Melissa, segundo o pediatra Armando Paes Corvo as biópsias feitas em Melissa apontam uma falta de inervação no intestino, o que impede que a menina tenha digestibilidade e trânsito intestinal para alimentos comuns. Isso leva o nome de pseudo-obstrução intestinal crônica (Poic).

:: Melissa já passou por exames nos maiores hospitais do Estado, segundo Corvo, e a esperança é que consiga consulta e possível tratamento no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Para isso, a família tenta arrecadar R$ 20 mil.

:: O caso da menina é considerado grave e raro, segundo o pediatra. A longo prazo, a saída pode ser que ela dependa de nutrição parenteral, via endovenosa, para a vida toda. Ela faria a medicação à noite para que, durante o dia, possa ir à aula. 

COMO AJUDAR

:: Um pedágio solidário ocorrerá no dia 15 de dezembro nas ruas centrais de Caxias.

:: É possível ajudar destinando doação pelo link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/mel-em-busca-da-cura-juntos-somos-mais-fortes.

:: Doações podem ser feitas pela conta da mãe de Melissa, em nome de Patricia Ternus Ribeiro. Dados: 

Caixa Econômica Federal; Agência: 3712, Conta: 5869-7; CPF: 009.633.770.27.

Leia também
Excesso de velocidade foi infração mais recorrente nas rodovias estaduais da Serra
Responsável por 2,64% do PIB brasileiro, economia criativa atrai cada vez mais profissionais
Polícia Federal indicia oito por fraude em auxílio-reclusão no RS

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros