O que causou o temporal que danificou cidades e arrasou o campo na Serra - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Clima31/10/2018 | 21h53Atualizada em 31/10/2018 | 21h53

O que causou o temporal que danificou cidades e arrasou o campo na Serra

Meteorologista aponta que combinação de corrente de ar quente com frente fria provocou o fenômeno

O que causou o temporal que danificou cidades e arrasou o campo na Serra Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O temporal que atingiu a Serra na madrugada desta quarta-feira (31) foi causado pela combinação de um corredor de ar quente e úmido vindo da região norte do país com uma frente fria que estava sobre o oceano na altura da Região Sul. Conforme o meteorologista Caio Guerra, da Somar Meteorologia, esse tipo de fenômeno é bastante comum na primavera e pode causar tempestades severas como a registrada na região. 

Leia mais
Balanço: o prejuízo causado pelo granizo na agricultura da Serra
Temporal com vento forte destelha casas e derruba árvores em Caxias e região
Chuva de granizo danifica moradias em Bom Jesus
Árvores e postes obstruem ruas de Caxias após temporal
Mais de 100 imóveis foram danificados pelo temporal em Flores da Cunha
Após granizo destruir 90% da produção de uva, Nova Pádua decreta situação de emergência
Chuva continua nesta quinta-feira na Serra  

De acordo com Guerra, não houve confirmação de tornado, mas os ventos alcançaram entre 80 km/h e 90 km/h, além de um grande volume de chuvas e granizo.

Conforme a estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), localizada no Aeroporto Hugo Cantergiani, em Caxias, choveu 66 milímetros entre 0h10min e 8h35min de quarta-feira. 

Temporal de granizo em Bom Jesus na madrugada de quarta-feira. Foto do secretario de Gestão Pública, Avenlino Costa da Sulva.
Foto: Avelino Costa da Silva / Divulgação

O valor supera um terço da média de outubro, que é de 178,7 milímetros em Caxias, conforme levantamentos do Inmet entre 1981 e 2010. Ventos entre 50 km/h e 60 km/h foram registrados por três minutos a partir da meia-noite, logo antes de a chuva forte começar.

De acordo com o meteorologista, a frente fria avançou mais para o norte, mas como o corredor de umidade ainda segue ativo há chance de mais pancadas de chuva ainda nesta quinta-feira (1º), principalmente no norte e nordeste do Rio Grande do Sul. Os ventos devem ficar mais intensos na costa gaúcha, podendo alcançar até 50km/h.

No extremo sul e no oeste gaúcho, o tempo firme volta devido ao avanço de uma massa de ar seco que inibe a formação de sistemas precipitantes.

Leia também
Mercado de carros seminovos em Caxias tem leve expansão
Bento Gonçalves recebeu mais de 1 milhão de turistas em 2018

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros