Morre jornalista e escritor Luiz Carlos de Lucena - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Despedida26/10/2018 | 08h27Atualizada em 26/10/2018 | 17h47

Morre jornalista e escritor Luiz Carlos de Lucena

Radialista e autor de cinco livros sofreu parada cardíaca na manhã desta sexta

Morre jornalista e escritor Luiz Carlos de Lucena Porthus Junior/Agencia RBS
Lucena dedicava-se à literatura regionalista Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

CORREÇÃO: até as 17h45min, este texto informou equivocadamente que Lucena morreu por uma parada cardiorrespiratória, após cirurgia na coluna. Esta primeira cirurgia foi bem-sucedida, mas ele precisou de uma segunda operação e, já na UTI, sofreu a parada.

Morreu, na manhã desta sexta-feira (26), o jornalista, radialista e escritor Luiz Carlos de Lucena, de 76 anos. Ele foi internado no Hospital do Círculo para uma cirurgia na coluna, mas precisou passar por uma segunda intervenção, por outro problema. Na UTI, sofreu uma parada cardiorrespiratória. Autor de cinco livros, Lucena morreu por volta das 6h. 

O velório ocorre nesta sexta, no Memorial São José, a partir das 14h, na capela E. No sábado, às 11h, a despedida será no Memorial Crematório São José.

Leia mais
Memória: a comunicação em Caxias nos últimos 50 anos
TV Caxias - Canal 8 em 1973

Natural de Cazuza Ferreira, interior de São Francisco de Paula, profissionalizou-se como radialista na década de 50 nas emissoras rádio Clube de Canela e na Radio Caxias. Atuou como apresentador de programas tradicionalistas e para o público jovem, além de participar de radionovelas.

O comunicador também trabalhou na TV Caxias. Em seu primeiro período de trabalho na emissora, de 1969 a 1976, exerceu as funções de locutor de cabine, apresentador substituto e cobrador, além de desenvolver atividades no departamento pessoal. Um ano depois, em 1972, durante a pioneira transmissão colorida da Festa da Uva no Brasil,  Lucena recepcionou artistas da TV Globo. Já no período de 1982 a 1985, atuou como gerente executivo. Também foi coordenador da UCS TV na década de 1990.

Lucena ainda teve atuação em empresas históricas de Caxias, como Rizzo, Pastifício Caxiense e Visate, além de ter empreendido negócios no ramo de seguros, representação comercial, publicidade, entre outros segmentos.

Mais recentemente dedicava-se à literatura regionalista. É autor de cinco livros. Muitos dos causos reúnem histórias do próprio autor. Lucena deixa quatro fihos - Fabiana, Renata, Claudia e Tiago -  e seis netos.

Leia também
Mais cinco temas para José Ivo Sartori, candidato ao governo do RS
3por4: auto de infração à Magnabosco gera discussão nas redes sociais

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros