Hospitais ainda não sabem como darão retaguarda ao público com o fechamento do Postão - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde em Caxias10/10/2018 | 11h07Atualizada em 10/10/2018 | 15h33

Hospitais ainda não sabem como darão retaguarda ao público com o fechamento do Postão

Direção do Pompéia afirma que não tem condições de absorver demandas além das emergências

Hospitais ainda não sabem como darão retaguarda ao público com o fechamento do Postão Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

A direção do Hospital Pompéia de Caxias do Sul não recebeu informações da prefeitura sobre a retaguarda hospitalar diante do fechamento do Pronto-Atendimento 24 Horas (Postão) para reformas. O superintendente-geral da instituição, Francisco Ferrer, convocou uma reunião interna para entender de que forma a interrupção das atividades do Postão pode impactar no atendimento hospitalar.

Leia também
Transferência de médicos e funcionários do Postão será definida em conversas individuais de cinco minutos
Fechamento do Postão motiva reunião entre prefeito e vereadores em Caxias do Sul

A principal dúvida das instituições hospitalares refere-se ao tipo de atendimento que será prestado no período em que o Postão estiver fechado. Tanto a UPA Zona Norte quanto o Postão seguidamente têm leitos ocupados por pacientes que aguardam internação num hospital, pois as ofertas de vagas pelo SUS geralmente estão quase 100% ocupadas. Sem os leitos do Postão, sobraria apenas a UPA para garantir esse tratamento intermediário. 

Em períodos de muita demanda, como ocorre no inverno, muitos pacientes que deveriam ser atendidos em postos de saúde, lotam o Pompéia em busca de consulta médica. Com o fechamento do Postão, é grande a possibilidade desse movimento afetar os serviços da instituição. A reunião interna está prevista para ocorrer na quinta-feira, 11 de outubro.

— O hospital não teve contato da prefeitura de como vai proceder. É preciso deixar claro que já somos referência para emergências, essa infraestrutura já temos. O que não temos é consultório para casos eletivos. Por isso, vamos discutir com a equipe a situação até para poder levantar pontos de interrogação a respeito do assunto. A partir disso, vamos solicitar uma audiência com a prefeitura para elucidar essas questões — enfatiza Ferrer.

Outra referência de retaguarda seria o Hospital Geral (HG). Na semana passada, o diretor técnico da instituição já havia dito que o HG receberia pacientes do Postão dentro da capacidade e discutiria as estratégias de contingência com o município. A direção só vai se manifestar sobre o tema nesta quinta-feira. 

Leia também
Mês dedicado ao diagnóstico precoce do câncer de mama ganha a cor da prevenção 
Rejane Tramontina: "Por que não eu? Pode acontecer com qualquer um"
Banco de Alimentos de Caxias pode perder convênio para compra de frutas e verduras 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros