Edital prevê aumento no valor investido em seis casas-lares de Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Crianças e adolescentes26/10/2018 | 13h30Atualizada em 26/10/2018 | 13h30

Edital prevê aumento no valor investido em seis casas-lares de Caxias do Sul

Conforme a FAS, contratos atuais não serão renovados e novos editais preveem nova modalidade de contratação

Edital prevê aumento no valor investido em seis casas-lares de Caxias do Sul Félix Zucco/Agencia RBS
Caxias tem, ao todo, 15 casas-lares, além de três abrigos institucionais Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

A Fundação de Assistência Social (FAS) de Caxias do Sul lançou um edital para entidades interessadas na administração de seis casas-lares do município, divididas em dois lotes de três residências. Cada casa pode acolher até oito crianças e adolescentes. As propostas deverão ser entregues no dia 20 de novembro, às 9h, na sala de licitações da FAS. A previsão é que os serviços comecem em 16 de dezembro. 

Leia mais:
Adoção, vidas que transformam
Quando parte da infância e da adolescência é no abrigo  
As crianças e adolescentes precisam querer ser adotados
É preciso vencer preconceitos para ampliar possibilidade de adotar uma criança

Não se trata de uma ampliação no número de casas, mas de novo chamamento público a partir do encerramento dos atuais contratos, que não serão renovados. A cidade continuará contando com 15 casas-lares.

Conforme a FAS, o valor anual para cada lote de três casas será de cerca de R$ 1,5 milhão, ou R$ 128 mil por mês. Atualmente, o valor é de pouco mais de R$ 70 mil. Com o aumento do valor, será possível manter sempre oito vagas, mesmo quando houver criança ou adolescente com deficiência ou bebê pequeno, o que atualmente faz com que a capacidade caia para seis, já que não há educador ou cuidador em plantão noturno - o que está previsto neste edital. Um outro edital abrangendo mais seis casas-lares também será lançado posteriormente.

Além das 15 casas-lares, Caxias do Sul possui três abrigos institucionais, com capacidade para 20 crianças e adolescentes cada. Em breve, as primeiras crianças deverão ser acolhidas no serviço de famílias acolhedoras, que está voltando a funcionar na cidade neste ano. Outro programa que terá início é o apadrinhamento afetivo, em que os padrinhos acompanham o dia-a-dia dos afilhados que permanecem acolhidos na rede municipal.

Leia também
Campanha A Fome não é fake inicia nesta sexta-feira em Caxias
Morre jornalista e escritor Luiz Carlos de Lucena
Patrimônio público é alvo de incêndio em área de preservação de Vila Seca, em Caxias

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros