Após reunião entre prefeito e vereadores, dúvidas sobre o Postão de Caxias permanecem - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde02/10/2018 | 19h08Atualizada em 03/10/2018 | 10h13

Após reunião entre prefeito e vereadores, dúvidas sobre o Postão de Caxias permanecem

Daniel Guerra garantiu que unidade não será fechada nesta terça-feira, mas não se sabe se atendimentos terão de ser interrompidos para reforma

Após reunião entre prefeito e vereadores, dúvidas sobre o Postão de Caxias permanecem Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

A reunião entre o prefeito Daniel Guerra (PRB) e 11 vereadores na tarde desta terça-feira (2) terminou sem definições sobre o futuro do Pronto-Atendimento 24 Horas (Postão) de Caxias do Sul. Esperava-se que o encontro trouxesse respostas sobre a necessidade de fechamento ou não da unidade para reformas.

Leia mais
"Houve a invasão do serviço, isso é um crime", diz prefeito de Caxias sobre protesto de servidores no Postão
Prefeitura cancela assembleia que teria com servidores do Postão nesta terça-feira
Postão de Caxias segue atendendo pacientes que chegam à unidade
HG confirma que receberá pacientes do Postão de Caxias que deve fechar para obras
Conselheiros de Saúde protestam contra fechamento do Postão 24H em Caxias
Postão de Caxias deve fechar para reforma 

Pela manhã, funcionários, sindicalistas e representantes do Conselho Municipal de Saúde protestaram em frente ao Postão depois de rumores de que as atividades do local já seriam encerradas às 11h. Depois, a assembleia com os servidores convocada pelo Secretário Municipal da Saúde para as 18h foi cancelada

O prefeito encontrou os vereadores às 16h, logo após ter conversado com o Pioneiro na abertura da Mercopar. Nos dois momentos, porém, ele não revelou se o Postão terá de ser fechado.

— Tinha o boato que ia fechar o Postão às 11h, e depois às 17h, e o prefeito desmentiu. A gente sabe que o Postão está sendo desmontado a cada dia, mas o que ficou de vitória dos servidores e da população é o não fechamento do PA hoje — avalia o vereador Renato Oliveira (PCdoB), que é presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara.

Conforme Oliveira, Guerra disse que ainda não há definição sobre o atendimento dos pacientes do Postão durante a reforma que visa transformar a unidade em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) nível III.

— Havendo o fechamento, para onde vão os pacientes, os servidores? Essa resposta nós não tivemos, porque segundo ele (o prefeito), estão numa fase de estudos ainda. Aguardamos que o prefeito dê uma resposta concreta, ficamos com muita dúvida ainda.

Os vereadores questionaram, então, a razão de a assembleia com os servidores ter sido marcada para hoje. O secretário teria dito que o encontro trataria sobre as escalas do local. Na convocação original aos funcionários, porém, as reformas constam como segundo tópico do encontro.

Segundo o vereador, ficou acordado que o secretário da Saúde, Geraldo da Rocha Freitas Júnior, agendará uma nova reunião com os vereadores quando o planejamento para as obras estiver definido. 

— Só que isso não tem data marcada ainda, porque o Executivo não tem planejamento. Pela manhã, ficamos uma hora e meia esperando uma reunião. Se era para dizer que não ia fechar hoje, não precisávamos ficar tanto tempo no Postão como ficamos — avalia Oliveira. 

A empresa responsável pela reforma do Postão confirmou que, pela descrição do trabalho, o prédio deve ser entregue à empreiteira de portas fechadas

Ministério Público quer que atendimento seja garantido

O Ministério Público acompanha a situação do Postão desde que as obras foram anunciadas. De acordo com a promotora Adriana Chesani, o órgão foi procurado pelo Sindicato dos Médicos e pelo Conselho de Saúde devido à dúvidas sobre o funcionamento da unidade com a reforma. 

Adriana diz que o MP e o Ministério Público Federal (MPF) emitiram recomendação ao prefeito para que, havendo o fechamento da unidade, sejam adotadas as providências para que o atendimento à população seja mantido. O chefe de Gabinete da prefeitura, Julio Cesar Freitas da Rosa, teria informado que as medidas já foram providenciadas com antecedência, ao contrário do que Guerra teria afirmado aos vereadores.

Leia também
Litro da gasolina passa a barreira dos R$ 5 em Caxias
Polícia investiga desaparecimento de adolescente há sete dias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros