Prefeituras da região esperam que Caminhos de Caravaggio seja lançado no início de 2019 - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Turismo29/09/2018 | 10h00Atualizada em 29/09/2018 | 16h59

Prefeituras da região esperam que Caminhos de Caravaggio seja lançado no início de 2019

O roteiro ligará os santuários de Farroupilha e Canela por meio de peregrinação entre as cinco cidades 

Prefeituras da região esperam que Caminhos de Caravaggio seja lançado no início de 2019 Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

O primeiro roteiro de turismo religioso da Serra deve ser inaugurado no primeiro trimestre de 2019. Em uma parceria inédita, Farroupilha, Caxias do Sul, Nova Petrópolis, Gramado e Canela unificaram as regiões da Uva e do Vinho e das Hortênsias para concretizar o projeto Caminhos de Caravaggio. 

O roteiro ligará os santuários de Farroupilha e Canela por meio de peregrinação entre as cinco cidades num trajeto de aproximadamente 200 quilômetros. No próximo dia 10 de novembro, durante a 30ª Feira Internacional de Turismo, em Gramado, os municípios vão oficializar um consórcio com personalidade jurídica que possibilitará pleitear recursos para a viabilização do projeto.

Iniciativa da prefeitura de Farroupilha, a ideia começou a ser desenvolvida em 2016, com convite aos municípios e definição do percurso. Apesar de os 200 quilômetros serem uma extensão considerável, o secretário de Turismo e Cultura de Farroupilha, Francis Casali, afirma que muitas pessoas já demonstraram interesse e que roteiros desse tipo possuem grande apelo.

— Estimamos que a caminhada leve em torno de sete dias, mas depende do ritmo de cada pessoa. De bicicleta, pode variar também, alguns conseguem fazer em um dia. Parece ser longo, mas já há interessados antes do projeto ser oficializado. 

Segundo Casali, muitas pessoas, inclusive, usam roteiros como esse para treinar para peregrenições maiores, como Santiago da Compostella, cujo trajeto mais conhecido tem cerca de 860 quilômetros. A parte mais complicada, detalha o secretário, foi definir o mapa do roteiro, processo que levou quase dois anos para consenso entre as prefeituras. O resultado, afirma Casali, justificará a demora:

— A paisagem que o peregrino irá desfrutar no nosso percurso é incrível. 

O roteiro percorre apenas um trecho de área urbana, de cerca de sete quilômetros, em Canela. As paisagens do interior abrangem estradas em meio à mata, próximas a rios, vinícolas e mirantes. Foram priorizados caminhos que têm igrejas, capitéis e outros símbolos religiosos. Ao todo, são mais de 30 em toda a extensão.

— Não é apenas voltado à religião católica e, sim, à espiritualidade ou à própria autodescoberta de cada peregrino — comenta o secretário adjunto de Turismo Indústria e Comércio de Nova Petrópolis, Gilnei Mücke.

Com a parceria a ser firmada em novembro, o próximo passo será buscar recursos para a implantação de sinalização adequada ao longo do roteiro. Os municípios vão pleitear cerca de R$ 1 milhão para instalação de placas para guiar os peregrinos em todo o trajeto. 

Um projeto com apelo religioso

Organizado pela prefeitura de Farroupilha, o roteiro Caminhos de Caravaggio não tem envolvimento direto dos santuários.

— Em peregrinações para terras santas, seja Roma ou Santiago (de Compostella), a movimentação inicial foi popular e, depois, vieram a estrutura e o turismo. Aqui é o contrário: começa institucional para buscar o aspecto devocional. Diferentemente da romaria de Caravag-gio, por exemplo. Não é espontâneo, mas achamos interessante — observa Jocimar Romio, padre auxiliar do Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio em Farroupilha.

Apesar do aspecto comercial, a iniciativa é vista positivamente.

– É muito bom para a região. É um potencial que está aí. Não é uma multidão que vai aderir. São caminhos feitos por pessoas mais específicas, normalmente acostumadas com grandes caminhadas. Nada comparado à nossa romaria, isso não se cria, isso se ganha, nasce do espontâneo – destaca o reitor do santuário, padre Gilnei Fronza.

O presidente do Conselho Administrativo Santuário de Canela, Lauro José Drechsler, também se mostra favorável.

– Desde que não interfira na fé e na religião católica, eu não vejo problema. Acho interessante o projeto, é o futuro – afirma.

Apesar de não haver participação efetiva dos santuários na organização inicial, posteriormente deve ser definida uma linguagem conjunta para 

consolidar o aspecto espiritual do projeto.

“Será bom para toda a região”

 GRAMADO, RS, BRASIL, 25/09/2018 - A estalagem Reserva da Colina fica distante dos roteiros turísticos de Gramado. Com o novo roteiro turístico Caminhos de Caravaggio, o proprietário Carlos Alberto Nunes da Silveira espera aumento da clientela. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Parte dos locais que estão envolvidos no roteiro já contam com pontos de apoio como pousadas, hotéis e outros pontos para pernoite e alimentação. Ainda assim, os municípios realizaram, ao longo do mês de setembro, eventos de capacitação com moradores vizinhos do roteiro buscando estimular o envolvimento empreendedor das comunidades no projeto.

Para explicar como moradores podem se tornar empreendedores e adequar os seus negócios ao roteiro turístico, as prefeituras convidaram um conselheiro do Ministério do Turismo e um consultor de Turismo do Sebrae para ministrar palestra.

Proprietário da Estalagem Reserva da Colina, localizada no interior de Gramado, o casal  Carlos Alberto Nunes da Silveira e Rosangela Encarnação Barbosa ficou empolgado com o projeto e diz ter interesse em adaptar o espaço para receber os futuros peregrinos de Caravaggio:

— É uma coisa nova, interessante. Teremos de adequar algumas coisas, mas temos perfeitas condições para isso. Não tem muito roteiro (em Gramado). Tem passeios na área colonial que atendem outras áreas, com cafés coloniais, mas é só isso, funciona com ônibus, mas não aqui — destaca Carlos Silveira (na foto acima).

— Vai ser muito bom para toda a região. Existem outros roteiros, mas são voltados para outras áreas. Não para a nossa região, que é muito bela. O projeto tem uma conotação muito interessante, de autodescoberta e espiritualidade — complementa Rosangela.

Entenda o roteiro: 



 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros