Pais denunciam suposto erro médico na UBS Santa Fé, em Caxias  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde 04/09/2018 | 18h14Atualizada em 04/09/2018 | 18h16

Pais denunciam suposto erro médico na UBS Santa Fé, em Caxias 

Hellena Manueli Rodrigues Antunes está no HG desde da última quarta-feira 

Pais denunciam suposto erro médico na UBS Santa Fé, em Caxias  Arquivo pessoal/Divulgação
Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

Hellena Manueli Rodrigues Antunes está internada, desde a última quarta-feira, na UTI neonatal do Hospital Geral, em Caxias do Sul. A bebê, que completou dois meses no dia 28 de agosto, chegou ao hospital em estado grave após ser diagnosticada com pneumonia. Os pais contam que em 10 de agosto ela apresentava um chiado no peito e foi levada para atendimento na unidade básica de saúde (UBS) Santa Fé. Cristian Rafael Antunes da Silva, 25 anos, diz que a filha foi atendida pela médica da UBS, que diagnosticou gripe e indicou que ela fizesse nebulização: 

— Ela tinha uma tosse seca e como a médica disse para fazermos nebulização com o sorinho que a nossa bebê logo iria melhorar. Todos os dias nós fazíamos o tratamento, só que no dia 27 ela piorou, respirava com dificuldade, e minha esposa foi na UBS com ela no outro dia. Dessa vez, a médica indicou amoxicilina de oito em oito horas e que continuássemos fazendo a nebulização. 

A medicação, no entanto, não surtiu efeito e a menina passou mal à noite, vomitando muito. Assustados, os pais decidiram levar a bebê para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Zona Norte. Lá o médico solicitou um raio X e, após o diagnóstico, encaminhou a menina para o Hospital Geral. 

A mãe da bebê, Dinamara Timóteo Rodrigues, 25, questiona por que não foi solicitado um raio X antes de Hellena iniciar o tratamento. 

— Ela (a médica da UBS) sempre tratou a Hellena, e acreditamos nela, mas o chiado no peito dava para escutar de longe, então eu fico me perguntando como a médica não me disse "Mãezinha, vai até a UPA, vamos fazer uma raio X". Ela deu amoxicilina na segunda consulta e disse que ia baixar a febre e em dois dias a nossa filha estaria bem, que ia dar a medicação para evitar a pneumonia, mas ela já estava mal — lamenta. 

Contraponto 

Para a coordenadora do Núcleo de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente da Secretária Municipal de Saúde (SMS), a pediatra Cláudia Panno de Oliveira, a conduta médica está correta. Ela afirma que teve acesso ao prontuário e no primeiro atendimento Hellena apresentava um quadro viral, mas não tinha febre e mamava normalmente. Cláudia explica que no dia 28 a bebê apresentava outro quadro:

— No primeiro atendimento, ela não apresentava pneumonia. No segundo, a médica identificou o quadro respiratório considerável, prescreveu antibiótico e pediu, e isso está escrito no prontuário, que a criança fosse levada até a UBS no dia seguinte para revisão, mesmo se apresentasse melhora. Ela, inclusive, orientou que em caso a bebê piorasse fosse levada até a UPA ou ao Pronto-Atendimento 24h (Postão). O atendimento está correto, do ponto de vista clínico. 

A pediatra ressalta ainda que tem monitorado o caso da bebê junto ao Hospital Geral e ela tem evoluído bem. 

Leia também:
Atraso em projeto adia para outubro licitação para obras no Cristóvão de Mendoza, em Caxias
Força-tarefa realiza ação contra rede de lojas de Farroupilha investigada por fraude de R$ 20 milhões


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros