Frei Jaime: o toque do espontâneo - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião15/09/2018 | 10h09

Frei Jaime: o toque do espontâneo

A gente fica à vontade com quem é de verdade

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

A experiência existencial é um exercício que não pode ser deixado em segundo plano. A vida sempre terá sabor, mas a escolha pelo melhor tempero é uma opção pessoal. Ao longo dos anos, depois de sucessivas etapas, é possível entender que a espontaneidade é uma conquista simplesmente formidável. 

Ninguém deveria se encolher, isto é, deixar de ser a sua própria essência, em função de determinações alheias. É evidente que a espontaneidade depende do modo como a verdade vai ocupando os diversos espaços. 

Leia mais
Frei Jaime: aplaudir de pé
Frei Jaime: o exercício do perdão

É impossível ficar totalmente à vontade com aqueles que se sobressaem nas aparências e interiormente possuem pouca consistência. Convém observar o esforço que muitas pessoas fazem para mostrar aos outros aquilo que elas não são, mas desejariam ser. 

O equilíbrio na convivência humana só será possível se existir humildade e simplicidade. Quanto tempo perdido querendo ser mais do que os outros. Não tem preço que pague a incrível oportunidade de simplesmente ser, sem precisar ostentar. 

Ficar à vontade diante das outras pessoas é uma verdadeira conquista. Tal empreendimento supõe coerência e sinceridade. É maravilhoso ser gente sem precisar mostrar o arsenal que o consumismo impõe. Para alcançar e qualificar os relacionamentos é imprescindível despir-se de tudo o que não acrescenta e não se eterniza. 

Que a verdade passeie em todas as rodas humanas, inspirando proveitosos diálogos, garantindo espontaneidade, proporcionando felicidade. 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros