Entidades e especialistas ressaltam necessidade de visibilidade e reflexão sobre o suicídio - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Setembro Amarelo 1/308/09/2018 | 10h30Atualizada em 08/09/2018 | 11h22

Entidades e especialistas ressaltam necessidade de visibilidade e reflexão sobre o suicídio

Em Caxias do Sul, foram registrados 259 casos de pessoas que morreram por suicídio nos últimos cinco anos e meio

Entidades e especialistas ressaltam necessidade de visibilidade e reflexão sobre o suicídio Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Vinte e duas pessoas tiraram a própria vida nos primeiros seis meses deste ano em Caxias do Sul, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O número, no entanto, representa um universo menor do que a realidade. Muitos dos casos acabam sendo mascarados em outros índices de morte, como acidentes de trânsito, por exemplo. Isso ocorre normalmente devido ao receio que muitas famílias têm de ser alvo de julgamento ao admitir a morte auto-infligida de alguém próximo. 

Leia mais
Dados do último semestre sobre suicídio fazem alerta para pais e escolas

O fato de o suicídio ainda ser uma questão cercada de preconceitos é um dos fatores que dificultam o alcance dos serviços de apoio emocional e clínico e a exposição da condição de quem sofre, em silêncio, de alguma vulnerabilidade emocional.

– Quando se diz que suicídio e depressão são "frescura", se fortalece o tabu que está por trás desses assuntos. É preciso compreender que o ato de desespero tomado por aquela pessoa não foi uma forma de chamar atenção e sim de dar um fim a uma dor que estava acabando com ela. Falta um olhar sensibilizado, nós perdemos a  humanidade – comenta a coordenadora de divulgação do Centro de Valorização da Vida (CVV) de Caxias do Sul, Arminda Bertuzzi. 

Os números, no entanto, mostram que é preciso ter uma maior atenção: de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano no mundo. Para se ter um parâmetro de comparação, esse índice representa quase o dobro do total de homicídios no planeta, estimado em 470 mil.

Em Caxias do Sul, foram registrados 259 casos de pessoas que morreram por suicídio nos últimos cinco anos e meio (de 2013 até o primeiro semestre de 2018). Com relação às tentativas, foram outras 1.379 no mesmo período.

– Uma vez eu assisti a uma palestra de um especialista em saúde mental norte-americano na qual ele demonstrava como a mortalidade por infarto diminuiu consideravelmente nos últimos 20 anos. Nesse mesmo período, ele apontou que as mortes por suicídio só aumentaram. Assim, é preciso falar sobre o tema para que possamos ampliar o debate sobre prevenção – analisa o psiquiatra João Paulo Brenner Junior.

OS NÚMEROS*

Suicídios

Total: 22 (entre eles, cinco idosos).
Homens: 17
Mulheres: 5

Tentativas

Total: 189
Homens: 51
Mulheres: 138

* 1º semestre de 2018

Fonte: Secretaria Municipal da Saúde

O amarelo do cautela

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 01/09/2017. Setembro amarelo, mês da prevenção do suicídio em Caxias. Centro de Valorização da Vida (CVV), voluntários atuam na prevenção de suicídios. Na foto, Paulo Cesar Duarte, 48, voluntário. (Porthus Junior/Agência RBS)
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Justamente com o propósito de reverter o preconceito acerca do tema que em 2015 criou-se no Brasil a campanha Setembro Amarelo. Desde então, os municípios realizam atividades ao longo do mês visando conscientizar sobre a prevenção do suicídio. 

A ação foi idealizada e é promovida pelo Centro de Valorização da Vida (CVV). Em Caxias, a campanha foi instituída no ano passado, a partir de lei proposta pela vereadora Paula Ioris (PSDB). Neste segundo ano de atividades, a ação estimulou diferentes setores a se articularem no fortalecimento da rede de atendimento. Entre as iniciativas, em 2017 foi criado o Comitê de Prevenção e Tratamento do Suicídio de Caxias do Sul, composto pela Universidade de Caxias do Sul (UCS), Secretaria Municipal da Saúde, CVV e Câmara de Vereadores.

– A ideia é tornar as ações mais frequentes e estabelecer um debate mais recorrente sobre o tema. Já realizamos capacitação de profissionais da área da saúde para melhoria da escuta e diminuição do preconceito no próprio atendimento  – comenta o psiquiatra João Paulo Brenner Junior, integrante do comitê.

Outra mobilização surgida foi a do Grupo de Trabalho Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio. Instituído pela Secretaria da Saúde, o colegiado é formado por profissionais que integram as Redes de Atenção Básica e Psicossocial de Caxias. Em agosto, o grupo também realizou a capacitação de 100 servidores que integram essas redes.

Neste ano, a principal atividade do Setembro Amarelo em Caxias será a I Jornada de Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio, que ocorre no dia 18. O evento é voltado especialmente a profissionais das áreas da saúde, educação e assistência social. A programação se estenderá das 8h30min até as 16h30min e prevê palestras sobre suicídio, propostas de prevenção e apresentações sobre auto-mutilação e comportamento suicida na adolescência. A participação é gratuita, mas é necessário inscrever-se antecipadamente pelo telefone (54) 3290-4494.

Voluntários

Para ser voluntário do CVV, os requisitos são ter mais 18 anos e dispor de quatro horas semanais. O contato é pelo e-mail caxiasdosul@cvv.org.br.

Leia também
Vândalos picham paredes do Arquivo Histórico Municipal de Caxias do Sul
Entidades realizam o 24º Grito dos Excluídos em Caxias do Sul
Picada Café ensina como ser exemplo em educação
Seguem buscas a grupo que atacou caixa eletrônico em Bento Gonçalves

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros