Obras na ERS-122, entre Caxias e Farroupilha, devem seguir por pelo menos um mês - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Trânsito20/08/2018 | 14h10Atualizada em 20/08/2018 | 14h10

Obras na ERS-122, entre Caxias e Farroupilha, devem seguir por pelo menos um mês

Com registros diários de congestionamentos, a orientação é de cautela 

Obras na ERS-122, entre Caxias e Farroupilha, devem seguir por pelo menos um mês Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A execução simultânea de duas importantes _ e aguardadas _ obras na ERS-122 e na RSC-453, entre Farroupilha e Caxias do Sul, tem causado inevitáveis transtornos no trânsito. São as intervenções no acesso da localidade de Forqueta, que modificarão o trânsito em uma rótula que é construída na antiga praça de pedágio, e da reforma asfáltica que vai do Viaduto Torto, no km 70 da ERS-122, até o conhecido como "trevo da Tramontina", no entroncamento da ERS-122 com a RSC-453, em Farroupilha. Se no domingo, com as obras paradas e menos movimento, já havia quem desviasse do trecho onde o asfalto foi retirado _ afunilando as duas pistas em uma _, de segunda a sexta estima-se que os motoristas fiquem parados de 30 a 40 minutos na pista, principalmente entre o trecho que vai da Menon Atacadista, no km 69 da ERS-122, até a praça de pedágio, próximo ao km 64. Como as obras têm previsão de conclusão de, pelo menos, mais um mês, em caso de tempo bom, a recomendação é de doses extras de paciência e cautela dos condutores. 

— Estamos tentando otimizar a obra e evitar grandes congestionamentos, mas sempre há algum tipo de transtorno para o usuário. A intenção é recuperar toda camada asfáltica e recuperar a rodovia de um jeito que nunca foi feito. Isso, é claro, trará estes problemas de trânsito —  justifica o diretor-geral do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Rogério Uberti. 

Somente um acidente, com danos materiais, foi registrado no trecho desde que as obras iniciaram, no final de julho. Segundo o Grupo Rodoviário (GRv) de Farroupilha, nos dias úteis formam-se filas de até três quilômetros em horários de pico, como pela manhã, entre 7h e 8h30min, e no final da tarde. Por isso, o grupo solicitou que a empresa responsável pelas obras, a Encopav Engenharia, encerre as obras, diariamente, às 17h.

— Nós solicitamos o encerramento das atividades até 17h, mas como muitas vezes fica desnível na pista em função da obra, não podemos liberar o trânsito completamente. O que temos feito é liberação do fluxo nos dois sentidos —  pondera o comandante do Grupo Rodoviário da Brigada Militar de Farroupilha, tenente Marcelo Stassak.

Ainda que alguns motoristas apostem em desvios de trânsito pelo Desvio Rizzo, em Caxias, o GRv não recomenda por envolver estradas de chão e trechos de pouco movimento. Por isso, é necessário cautela e paciência. No entanto, a previsão do Daer é que o trânsito na região de Forqueta comece a fluir mais a partir de quarta, quando o fluxo nos dois sentidos deve ser normalizado. 

OBRAS 

:: Em nota via assessoria de imprensa, o Daer informa que executa serviços de manutenção asfáltica e roçada na ERS-122, entre São Vendelino e Farroupilha, na ERS-446, do quilômetro zero ao oito e na VRS-813, entre Farroupilha e Garibaldi.

:: Na RSC-453, além dos serviços de manutenção asfáltica entre os quilômetros 101 e 103, a autarquia está retirando a antiga praça de pedágio do quilômetro 125 da rodovia e executando trabalhos de recomposição do pavimento e implantação de capa asfáltica até o quilômetro 130. A sinalização no segmento está sendo revitalizada com implantação de placas.

:: Um retorno junto ao canteiro central será a nova opção de acesso a Forqueta. Ele será construído no ponto onde ficava o antigo pedágio de Farroupilha. 

:: Por isso, a estrutura que ainda resta da praça, como taxões e blocos de concreto no meio da pista, está sendo removida durante a obra. 

:: Com a nova configuração, o motorista que segue no sentido Caxias/Farroupilha e pretende acessar Forqueta deve seguir até a antiga praça de pedágio e fazer o retorno. 

:: Como a alça vai ficar junto ao canteiro central, a manobra será mais segura e rápida do que atualmente.

:: A obra é encaminhada pela Encopav Engenharia e está orçada em R$ 200 mil.

 Leia também
Jovem é assassinado com tiro de espingarda em São Marcos
Mulher é detida ao levar biscoitos e refrigerante de mercado 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros