Memória: Um prédio "diferente" surge em 1976 - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias antiga29/08/2018 | 07h30Atualizada em 29/08/2018 | 07h30

Memória: Um prédio "diferente" surge em 1976

Projetado há 42 anos pelo engenheiro Hugo Grazziotin, Edifício Antares foi o primeiro redondo de Caxias

Memória: Um prédio "diferente" surge em 1976 Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução/reprodução
Foto: Acervo Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul / reprodução / reprodução

Se o prédio desperta curiosidade ainda hoje, imagine em 1976, quando foi concebido. Falamos do icônico Edifício Antares, o “redondinho” localizado na esquina das ruas Borges de Medeiros e Vinte de Setembro.

A novidade foi detalhada em uma ampla matéria na edição do Pioneiro de 17 de julho de 1976, cujo texto original reproduzimos aqui:

"Caxias do Sul vai ver surgir do solo, dentro de poucos dias, um empreendimento diferente: o "Redondinho". Trata-se do majestoso e bonito Edifício Antares, que, pela sua forma arredondada e de linhas arquitetônicas revolucionárias para Caxias do Sul, já está tomando o carinhoso apelido de "Redondinho".

Pelos vários setores da Prefeitura Municipal e Secretaria da Saúde, por onde estão tramitando as plantas do Edifício Antares, todas as pessoas já conhecem o processo pelo apelido dado ao belíssimo prédio. Com sua construção praticamente iniciada, na esquina das ruas Vinte de Setembro com Borges de Medeiros, o Antares terá 22 apartamentos muito bem divididos, dentro de sua classe, com insolação por todos os lados, dado sua forma. E o "Redondinho" deverá ser inaugurado em julho de 1977, quando serão entregues todos os apartamentos.

Na realidade, Caxias do Sul vê surgir no seu contexto arquitetônico um empreendimento diferente. E traz a marca tradicional: é um empreendimento EMGRAN, do engenheiro Hugo Grazziotin".

O diferente, porém, não escapou de alguns percalços para ser comercializado. Moradores mais antigos recordam que as pessoas tinham receio de como iriam colocar os móveis num apartamento redondo, daí as unidades já virem com a cozinha, nas versões fórmica amarela ou vermelha, os armários verde maçã ou rosa bebê no banheiro e o guarda-roupa embutido no quarto. 

Nada mais anos 1970...

Leia mais:
Edifício Dona Ercília e uma esquina recheada de histórias
Um incêndio agita o Centro de Caxias em 1952
Memórias na vertical: as curiosidades dos antigos prédios de Caxias do Sul 

Prédio redondo é uma referência do Centro até hojeFoto: Rodrigo Lopes / especial

Truques para driblar o formato

A estrutura do prédio foi detalhada recentemente na reportagem Memórias na Vertical, escrita por este colunista na revista Almanaque de 14 de julho:

O Antares soma 11 andares, com dois apartamentos de um quarto por pavimento. Todos eles iguais, de 57m2, com medidor de consumo de água individual - outro avanço para a época -, porém com apenas seis vagas de garagem no subsolo. O que mais chama atenção, no entanto é o formato fatia de pizza dos cômodos: as peças vão "alargando" conforme o morador aproxima-se das janelas.

As paredes que dividem quarto, sala, banheiro e cozinha são retas. Redondas são as externas e as que percorrem o corredor interno, onde a escadaria em caracol circunda o elevador – instalado dentro de um cilindro. Entre os "truques" do prédio, o engenheiro Hugo Grazziotin, 92 anos, entregou um: o revestimento em madeira no entorno das janelas:

– Foi para disfarçar a parte das esquadrias, que ficavam um pouco para fora da parede por causa do formato redondo

Destinado aos casais

Matéria divulgada na edição seguinte do então semanário Pioneiro, em 24 de julho de 1976, destacava que o Edifício Antares trazia "uma peculiaridade das mais significativas": 

É destinado aos casais que preferem um apartamento menor do que os tradicionais e que buscam a tranquilidade dos pequenos prédios.

Na próxima coluna

O surgimento do Edifício Selenium, o chamado irmão gêmeo do Antares, na esquina das ruas Treze de Maio e Bento Gonçalves, também projetado por Hugo Grazziotin em 1976.

Leia mais:
Fábrica de Acordeons Tupy em 1961
Sila Mariani Santini e a Mercearia Caxiense em 1952
Inauguração do Mercado Público de Caxias em 1968
Mercadinho do Povo na Av. Júlio em 1947
Inauguração das Feiras Livres em 1948  
Casa Prataviera: um ícone do Centro   

Confira outras publicações da coluna Memória
Leia antigos conteúdos do blog Memória   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros