Campanha de vacinação quer imunizar mais de 22 mil crianças em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde06/08/2018 | 07h00Atualizada em 06/08/2018 | 07h00

Campanha de vacinação quer imunizar mais de 22 mil crianças em Caxias do Sul

Doses contra o sarampo e a poliomielite serão disponibilizadas nas 47 UBSs do município até 31 de agosto

Campanha de vacinação quer imunizar mais de 22 mil crianças em Caxias do Sul Felipe Nyland/Agencia RBS
Aplicação é direcionada a crianças com idade entre um e cinco anos incompletos. Ideia é reforçar proteção aos pequenos, que são mais suscetíveis a complicações Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Começa hoje em todo o país a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite. Em Caxias do Sul, as doses estarão disponíveis em todas as 47 unidades básicas de saúde (UBSs). A meta da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é vacinar, pelo menos, 95% das 22.364 crianças de um a cinco anos incompletos que vivem no município. 

Um dos objetivos da ação é reforçar a proteção contra as duas doenças, principalmente nesta faixa etária, que é mais suscetível a complicações. Por isso, mesmo que o calendário vacinal da criança esteja de acordo, é importante que os pais levem os filhos no postinho para receberem o reforço. 

A situação do sarampo é a mais preocupante no país: conforme levantamento do Ministério da Saúde, divulgado na última quarta-feira, há 1.053 casos da doença confirmados até agora. Ao todo, sete Estados têm registros de sarampo, incluindo o Rio Grande do Sul, com 13 registros. Já a poliomielite, também chamada de paralisia infantil, está erradicada do Brasil desde 1994, mas ainda está presente em países como o Afeganistão e o Paquistão. 

 Leia mais:
Cobertura vacinal contra a poliomielite diminui em Caxias do Sul
Mortes por gripe A seguem crescendo em Caxias 

— O objetivo é buscar os não vacinados e corrigir falhas vacinais. Também há muitas dúvidas que chegam até nós sobre o porquê de a vacinação ser só para as crianças. Ocorre que o risco de adultos morrerem por conta do sarampo é bem menor do que nesta faixa etária que será imunizada. Outra questão é quanto à poliomielite, que não pode ser descuidada. Enquanto houver casos de pólio no mundo, há risco de a doença chegar em qualquer país — explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica Juliana Argenta Calloni.

O caso mais recente de sarampo registrado na região da 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), que atende 49 municípios da Serra, é de uma mulher na faixa dos 30 anos, moradora de Vacaria. Ela foi diagnosticada com sarampo em junho, mas não adquiriu a doença no Estado. A paciente teve contato com pessoas que viajaram para outras regiões do país que estão infectadas.

— Pólio e sarampo são duas doenças absolutamente controladas no nosso território, que correm risco de reaparecer por situações epidemiológicas de países vizinhos, principalmente a Venezuela, que tem vivenciado casos. O risco está mais evidente nesses dias atuais. Hoje, a vacinação promove saúde em todas as faixas etárias. Mas as crianças não podem deixar de se vacinar, sob risco de vermos essas doenças serem reintroduzidas no nosso país — alerta o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Renato Kfouri.

SERVIÇO

:: O quê: campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomielite.

:: Público-alvo: crianças de um a cinco anos incompletos. Os pais devem levar os cartões do SUS e de vacinação.

:: Quando: de hoje até o dia 31. 

:: Onde: unidades básicas de saúde (UBSs) do município. No sábado, dia 18, o Dia D, todos os postinhos de saúde estarão abertos para atender a população.

:: Informações: (54) 3290-4400 ou no site do Ministério da Saúde (portalms.saude.gov.br/).

SAIBA MAIS 

:: O sarampo é uma doença infecciosa aguda e extremamente contagiosa, transmitida por secreções eliminadas pela boca das pessoas infectadas (por meio da fala, tosse e espirros). Os principais sintomas são febre alta (acima de 38,5°C), dor de cabeça, manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo. Pode ocorrer também tosse, coriza e conjuntivite. 

:: A poliomielite, também chamada de paralisia infantil, pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções das pessoas infectadas, e provocar ou não paralisia. Nos casos graves, em que acontecem as paralisias musculares, os membros inferiores são os mais atingidos. A doença permanece endêmica em três países: Afeganistão, Nigéria e Paquistão. Não há nenhum caso confirmado nas Américas.  A vacinação é a única forma de prevenção. 

fonte: Ministério da Saúde

 Leia também:
Centenas de pessoas prestigiam Corrida de Carrinho de Lomba em Caxias
Suspeitos de participação em chacina em Caxias são presos em Palmeira das Missões 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros