Demora no atendimento segue como principal reclamação no Pronto-Atendimento 24 Horas de Caxias  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde21/07/2018 | 17h31Atualizada em 21/07/2018 | 17h31

Demora no atendimento segue como principal reclamação no Pronto-Atendimento 24 Horas de Caxias 

No início da tarde deste sábado, sala de espera tinha mais de 40 pessoas, algumas esperando desde antes das 9h

Demora no atendimento segue como principal reclamação no Pronto-Atendimento 24 Horas de Caxias  Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

O relógio já se aproximava das 13h deste sábado, mas a moradora do bairro Desvio Rizzo Mariane Cristina Lima de Campos, 29 anos, ainda permanecia na sala de espera do Pronto-Atendimento 24 Horas de Caxias, onde havia chegado pelo menos quatro horas antes. Ela estava sentindo dor no peito, com tosse e passou a noite com febre.

Leia mais:
Postão 24h terá atendimento parcial de pediatras neste fim de semana em Caxias

— Fui deixando porque cada vez que venho aqui é desse jeito. A gente vem e fica o dia todo. Hoje, quando fiz a ficha de manhã me falaram que ia demorar de três a quatro horas. Eu acho um absurdo, muitas pessoas passam mal aqui e só são atendidas quando estão em estado crítico. As pessoas reclamam indignadas, ninguém está aqui porque quis sair de casa para ficar sentado aqui, são pessoas que precisam — reclamou ela. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 21/07/2018Blitz no posto de saúde (postão) de Caxias do Sul.(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Mariane (de vermelho) chegou às 8h45min deste sábado e, às 13h, ainda não havia sido chamadaFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Já a auxiliar de limpeza Janice Ferreira, 52, foi atendida na sexta por conta de fortes dores no estômago e, neste sábado, aguardava para mostrar exames. Chegou às 9h, mas às 13h ainda não havia sido chamada. 

— Estou louca para saber o resultado, estou aqui sem almoço. Isso não tem explicação. Me falaram que tinha três médicos atendendo na urgência, mas não sei — disse ela.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 21/07/2018Blitz no posto de saúde (postão) de Caxias do Sul.(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Janice aguardava por resultados de examesFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Perto de Janice, a agricultora Elizete Cristina Guralski, 20, permanecia agachada, apoiada na parede, também à espera do atendimento. Ela foi trazida pelo namorado, Jonatha Bianchi, porque passou a noite com tontura, dor no estômago e vômito. Os dois vieram de Loreto da 2ª Légua, no interior de Caxias. Estavam no Pronto-Atendimento desde às 9h16min. 

— Falaram que não era caso urgente e tinha que esperar. Até agora nada. Não sabemos quando vamos ser atendidos — disse Jonatha, preocupado ainda porque a pressão da namorada, medida pela manhã, estava bem baixa, cinco por sete.   

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 21/07/2018Blitz no posto de saúde (postão) de Caxias do Sul.(Lucas Amorelli/Agência RBS)
Elizete saiu do interior de Caxias para ser atendidaFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

De acordo com o secretário da Saúde, Geraldo Freitas Júnior, o ponto crítico no Postão é somente com relação ao atendimento pediátrico. Segundo ele, por conta de licenças e férias de alguns médicos, a comunidade tem sofrido com menos pediatras.

— Estamos buscando contratar pediatras para esta noite e fazer encaminhamentos à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA). Em agosto, a situação deve se normalizar com a escala completa dos médicos — disse.

Ainda conforme o secretário, o atendimento na urgência adulta estava operando com normalidade neste sábado. Casos não-graves têm prazo de até quatro horas de espera para o atendimento.

— Casos classificados como emergências são atendidos imediatamente — esclareceu Feitas.

Leia também:
Escola no loteamento Campos da Serra, em Caxias do Sul, depende de liberação de verbas federais
Ataque com explosivos a banco durou cerca de cinco minutos em Farroupilha, diz BM


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros