Após ter plantão pediátrico rejeitado por Conselho de Saúde, prefeitura quer reforçar atendimento na UPA da Zona Norte - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Caxias do Sul25/07/2018 | 13h31

Após ter plantão pediátrico rejeitado por Conselho de Saúde, prefeitura quer reforçar atendimento na UPA da Zona Norte

Dois especialistas devem assumir em agosto no pronto-atendimento com gestão compartilhada

Após ter plantão pediátrico rejeitado por Conselho de Saúde, prefeitura quer reforçar atendimento na UPA da Zona Norte Roni Rigon/Agencia RBS
Secretário da Saúde afirma que há tratativas para contratação de especialistas para a UPA de Caxias do Sul Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O secretário da Saúde de Caxias do Sul, Geraldo da Rocha Freitas Júnior, disse que a prefeitura já estuda alternativas para atender o crescimento de 41% da demanda pediátrica no município no inverno deste ano, já que a proposta de criação de um plantão pediátrico em 90 dias foi rejeitada pelo Conselho Municipal de Saúde em reunião na noite desta terça-feira (24). A intenção é utilizar a gestão compartilhada da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Zona Norte para ampliar o quadro de profissionais. 

— Lamentamos que não houve a sensibilidade de alguns conselheiros. Para o conselho, o assunto estaria encerrado, mas temos que avaliar a legalidade da decisão, uma vez que o assunto comunitário tem que estar acima dos interesses corporativistas. Temos a possibilidade por meio da gestão compartilhada do reforço — aponta Freitas.

Leia mais
Oito fatos agravam a crise da saúde pública em Caxias do Sul   
"Sem a UPA, seria o caos", afirma secretário da Saúde de Caxias do Sul
"Modelo do Postão se esgotou", diz Daniel Guerra durante coletiva sobre novo plantão pediátrico

Segundo o titular da Saúde, a prefeitura está em tratativas com a UPA para ter mais um pediatra e um pneumopediatra em agosto. Com isso, o quadro de médicos da área pediátrica ultrapassaria 25 profissionais. Hoje são 14 especialistas, nove em especialização e dois em residência de pediatria, segundo Freitas. Já para o Postão, ele diz que há poucas perspectivas de aumento do quadro de 19 pediatras porque a prefeitura está com dificuldades de contratar profissionais. De seis especialistas chamados recentemente em concurso, apenas um manifestou interesse de assumir vaga. O prazo se encerrou na última semana.

Além da discussão sobre o atendimento pediátrico, o Conselho Municipal da Saúde aprovou uma série de medidas propostas pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindiserv) para o atendimento desde a rede básica. O secretário disse que elas serão avaliadas pelo aspecto técnico e pela viabilidade econômica, mas adianta algumas que esbarram neste último fator, como a ampliação de 20 equipes de Estratégia da Saúde da Família (ESF). 

A presidente do Conselho Municipal da Saúde, Fernanda Borkhardt, disse também que outra medida que poderia ser adotada é voltar a criar cargos de médico de 40 horas em Caxias, o que já foi encaminhado para a Câmara de Vereadores. Fernanda também defende a possibilidade de adesão de médicos de 12 horas ao programa PraVida, em que os profissionais podem passar para uma carga de 40 horas. O secretário disse que essa questão também está sendo reavaliada, assim como um plano de carreira que torne a remuneração mais atrativa.

Leia também:
PMs da reserva vão substituir colegas da ativa na guarda externa de presídios na região
Conselho Municipal de Saúde rejeita plantão pediátrico com gestão compartilhada em Caxias
Caxias do Sul chega a 24 dias sem roubos a comércio na área central

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros