Visate aponta redução de 60,6% em quedas dentro dos ônibus em Caxias  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Transporte Coletivo11/06/2018 | 12h24Atualizada em 11/06/2018 | 12h24

Visate aponta redução de 60,6% em quedas dentro dos ônibus em Caxias 

A cada seis dias um passageiro cai dentro do coletivo da Viação Santa Tereza

Visate aponta redução de 60,6% em quedas dentro dos ônibus em Caxias  Lucas Amorelli/Agencia RBS
A média é de 5,8 quedas mensais Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Depois do Pioneiro mostrar que a cada dois dias, o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) atende a passageiros que se machucaram depois de cair dentro de ônibus em Caxias do Sul, a Visate apresentou números. A média é de 5,8 quedas mensais, registradas de janeiro a maio. É um acidente a cada seis dias. O levantamento aponta ainda que de 2014 a 2017 ocorreu uma redução de 60,6% nas ocorrências. Em 2014, a média era de 18 quedas por mês. Um ano depois, o número caiu para 15,83 casos a cada 30 dias, mas voltou a subir em 2016, quando 16, 8 passageiros caíram dentro dos veículos mensalmente. No ano passado, foram registradas 7,8 quedas por mês.  

O supervisor de segurança da Visate, Renato Cordeiro, acredita que a redução acontece devido ao melhor preparo dos motoristas da empresa: 

— O número de quedas em ônibus, por responsabilidade da empresa, vem reduzindo nos últimos anos graças às ações tomadas, tais como treinamentos de direção defensiva com todos os motoristas, cursos de bom atendimento e boa condução — explica Cordeiro. 

A aposentada Carolina Pedro Patrício, 71 anos, está nas estatísticas da Visate. A idosa caiu no ônibus que faz a linha do loteamento Mariani, no início da tarde do dia 17 de abril. Se não bastasse a lesão provocada pela queda,  ela precisou retornar às pressas ao hospital logo após atendimento médico: quando tomava banho, ela se sentiu mal e quase desmaiou. As costelas quebradas perfuraram o pulmão e ela teve que ser entubada no pronto-atendimento do hospital, onde ficou internada até o dia 9 do mês passado. 

— Tive complicações que limitam até minha movimentação. Eu tinha acabado de entrar no ônibus e o motorista não esperou nem eu sentar. Ele arrancou e eu caí. Nem todos têm o mesmo ritmo e, às vezes, os motoristas não esperam, principalmente, nós mais velhos, sentarmos. Teriam que ter mais paciência, ainda mais com pessoas de mais idade. Temos que nos cuidar, mas os motoristas também têm que ser mais atenciosos. Não são todos, mas alguns não têm paciência. Foi uma situação horrível, desabafa. 

Nos casos de acidentes no ônibus, a orientação da Visate é que o motorista acione o Samu e fique com os dados da pessoa que caiu e também de passageiros que possam servir como testemunhas. A empresa investiga o caso e quando fica comprovado que a queda ocorreu por responsabilidade da Visate, faz o ressarcimento dos gastos com medicação ao passageiro. A empresa está acompanhando a situação da aposentada para ressarcir os custos, mediante comprovação dos gastos, no final do tratamento, já que a idosa teve empolia pulmonar e segue tomando medicações. 

NÚMEROS

Quantidade de quedas de passageiros dentro dos ônibus da Visate

2018 

Média mensal: 5,8              

Uma queda a cada 6 dias

2017 

Média mensal: 7,8               

Uma queda a cada 4 dias

2016 

Média mensal:16,08              

Uma queda a cada 1,87 dias

2015 

Média mensal: 15,83               

Uma queda a cada 2 dias

2014 

Média mensal: 18                                       

Uma queda a cada 1,66 dia

Outros: nos demais ônibus de transporte coletivo, a média é de uma queda a cada dois dias, segundo o Samu. 


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros