Novas turmas já têm professores para iniciar aulas no Ensino Fundamental em Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Educação18/06/2018 | 10h55Atualizada em 20/06/2018 | 15h05

Novas turmas já têm professores para iniciar aulas no Ensino Fundamental em Caxias do Sul

Agora, município terá de ofertar transporte a mais de 100 estudantes que ainda não iniciaram as atividades escolares

Novas turmas já têm professores para iniciar aulas no Ensino Fundamental em Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
As crianças estão há cerca de quatro meses sem estudar porque não conseguiram vaga na rede pública Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Cerca de 130 alunos do 1º ao 3º anos do Ensino Fundamental que ainda não iniciaram as aulas em 2018 em Caxias do Sul estão mais próximos de iniciarem a rotina de estudos. O governo do Estado contratou professores para abrir três turmas extras na Escola Estadual de Ensino Fundamental Dante Marcucci, atendendo a cerca de 30 alunos.  Os estudantes restantes serão alocados em turmas no Instituto de Educação Cristóvão de Mendoza e na Escola Coronel José Pena de Moraes.

Leia mais
Estado admite possibilidade de municipalizar Ensino Fundamental
Escolas municipais de Caxias poderão decidir se mantêm aulas em dias de jogos do Brasil

As crianças estão há cerca de quatro meses sem estudar porque não conseguiram vaga na rede pública. Na maioria dos casos, as famílias até conseguiram realizar a matrícula em locais indicados pela Central de Vagas, mas não tinham condições de levar os alunos até escolas tão distantes de casa. 

Para tentar resolver o problema, o Piratini e a prefeitura de Caxias firmaram um acordo: a administração estadual abriria novas turmas e o município forneceria transporte gratuito aos alunos que precisam.

Com os professores contratados e as turmas homologadas, conforme a titular da 4ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Janice Moraes, a única pendência é o transporte. A maioria dos alunos reside nas regiões dos bairros Desvio Rizzo, Forqueta e Esplanada e as escolas de destino ficam nos bairros São Pelegrino e Cinquentenário.

De acordo com a Secretaria Municipal da Educação, a prefeitura deve iniciar a contratação de prestadores do serviço a partir dos próximos dias, por meio de dispensa de licitação. Para isso, precisa receber pedido do Juizado da Infância e Juventude, que solicita a contratação sem licitação devido à gravidade do problema. 

Vencida esta etapa, a 4ª CRE trabalhará na elaboração de um calendário escolar diferenciado para os alunos, que necessitam cumprir 200 dias de aula.

– Não pode ser uma coisa sem qualidade, senão não tem sentido – justifica Janice.

O problema da falta de vagas em escolas públicas próximas às casas dos alunos em Caxias pode ser amenizado a partir de 2019. O Departamento de Planejamento Governamental (Deplan) estuda vincular as matrículas obrigatoriamente ao endereço residencial do aluno a partir do próximo ano. 

Hoje, ao buscar vagas na Central de Matrículas, os pais podem dar o nome de três escolas preferenciais. No novo modelo, a família informaria o endereço de casa e o aluno seria automaticamente realocado para uma instituição próxima.

Leia também
Quarto pedido de impeachment contra Daniel Guerra irrita presidente da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul
Homem vai a júri por morte de adolescente em 2016, em Caxias do Sul
Obras entre Santa Lúcia e Sebastopol começam nesta segunda-feira 
Associação de moradores do Colina Sorriso instala mais bancos em paradas de ônibus

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros