Hospital odontológico começa a tomar forma em Farroupilha - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saúde05/06/2018 | 10h53Atualizada em 05/06/2018 | 10h53

Hospital odontológico começa a tomar forma em Farroupilha

Iniciativa privada irá financiar centro de saúde bucal com atendimento gratuito

Hospital odontológico começa a tomar forma em Farroupilha Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Iniciativa irá permitir atendimentos gratuitos a crianças e adolescentes de zero a 16 anos. Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

É um sonho que está se tornando realidade. Assim, o cirurgião dentista João Carlos Bordin, 32 anos, define o projeto que pretende inaugurar em seis meses.  É com brilhos nos olhos que observa a área onde será erguido um complexo de saúde com especialização odontológica, em Farroupilha. A iniciativa irá permitir atendimentos gratuitos a crianças e adolescentes de zero a 16 anos. O hospital será construído no terreno do antigo posto de saúde do bairro Primeiro de Maio, cuja cedência para a empresa será de 10 anos, com prorrogação por mais 10. 

Leia mais:
Hospital odontológico regional será construído em Farroupilha

— Eu tenho esse sonho há 15 anos, e o centro de saúde vai sair do papel mesmo que eu tenha que tirar dinheiro apenas do meu bolso. Trabalhei muito até hoje para poder me dedicar a esse projeto — conta.

Inicialmente, o prédio atual seria demolido para a construção de um centro esportivo, onde ocorreriam atividades sociais voltadas à comunidade.  A prefeitura, então, abriu edital de chamamento público para selecionar uma empresa da iniciativa privada que tivesse um projeto social, portanto, sem fins lucrativos, para ocupar a área que está desativada desde 2016. 

A proposta inicial era que a estrutura funcionasse como uma casa de caridade, onde os jovens fossem atendidos para higienização e consultas com especialistas das áreas de saúde, como dentistas, nutricionistas e psicólogos. Contudo, o projeto foi ganhando forma, até que uma nova proposta surgiu: um centro de saúde com referência em odontologia, voltado, principalmente, para procedimentos cirúrgicos de crianças e adolescentes com lábio leporino. 

O contrato entre a prefeitura e o empresário foi assinado em 16 de maio. A construtora responsável pela obra já fez as medições do terreno e deverá repassar o orçamento a Bordin nos próximos dias. Além do hospital, que atenderá pacientes de toda a região, também serão construídas quadras de esporte para que as crianças tenham acesso a atividades de lazer. A verba para a parte esportiva é pública, proveniente, de emenda parlamentar, mas os custos para tirar o hospital do papel serão arcados apenas pela iniciativa privada. 

— Até o momento, os recursos são próprios e pretendo contar com a ajuda de empresas. O hospital será construído de qualquer forma. Estou em busca de parceiros, e sei que vou precisar de muita ajuda, mas vai acontecer, porque eu tenho uma meta a cumprir. No ano passado, estabeleci um prazo e vou cumprir — relata.

Sonho começa a ganhar forma 

Para dar início à captação de recursos, uma associação sem fins lucrativos foi formada com a participação de diversos profissionais. A diretoria atual é composta por 11 integrantes, que irão buscar parcerias e gerenciar a instituição. Bordin explica que pensou em oferecer serviços com especialistas, mas para se tornar referência, optou por restringir o atendimento à sua área de atuação. A finalidade é atender à demanda de pacientes que precisam fazer procedimentos mais complexos do que os que são feitos em clínicas de odontologia e disponíveis no sistema público de saúde. 

 FARROUPILHA, RS, BRASIL, 23/05/2018 - Centro médico com especialização em odontologia será construído em Farroupilha, onde funcionava um posto de saúde, que está abandonado. (Marcelo CAsagrande)
Idealizador do projeto precisará de ajuda para manter atendimento Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

— Hoje esse tipo de atendimento de qualidade e que atenda o número de pacientes que precisa de cirurgias só existe dentro das universidades e, se tem fora delas, não atende à demanda, visto que uma a cada 650 crianças nascidas no Brasil desenvolve fissuras labiopalatais, conhecidas como lábio leporino — explica.

O projeto será único no Estado e seguirá os moldes do Centro de Bauru (SP), pioneiro no tratamento no Brasil, dedicando até hoje 100% da capacidade a usuários do SUS. Hoje, a instituição já ultrapassou a marca de 100 mil pacientes atendidos nas áreas de fissuras labiopalatinas, anomalias craniofaciais congênitas e deficiência auditiva.  

— Mas um hospital privado e totalmente gratuito com especialidade em lábio leporino eu desconheço no Brasil —  afirma ele, especializado também em Nutriendocrinologia.

Para ele, é importante prestar serviços de saúde em diversas áreas, mas é fundamental ser referência:

— É preciso se posicionar no mercado e ser o melhor em determinada área. Esse será o nosso argumento para captar recursos junto à iniciativa privada e ao poder público. Um dia, quem sabe, possamos atender pelo SUS e beneficiar cada vez mais quem precisa de atendimentos e procedimentos cirúrgicos. Seremos referência em atendimentos a pacientes com lábio leporino —  projeta. 

Confira como será o complexo de saúde: 

A estrutura física e de pessoal:

 FARROUPILHA, RS, BRASIL, 23/05/2018 - Centro médico com especialização em odontologia será construído em Farroupilha, onde funcionava um posto de saúde, que está abandonado. (Marcelo CAsagrande)
À direita do prédio atual ficará o hospital (bloco cirúrgico/sala de recuperação), ao lado consultórios médicos e a esquerda o auditório.Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

À direita do prédio atual ficará o hospital (bloco cirúrgico/sala de recuperação), ao lado consultórios médicos e a esquerda o auditório. A casa de hospedagem para acompanhantes ficará ao lado do centro hospitalar. 

O quadro médico será formado por cirurgiões dentistas, nutricionistas e psicólogas. Os pais também poderão ter acesso aos serviços de saúde, desde que os filhos frequentem regularmente a escola. 

No auditório serão promovidas palestras e atividades para instruir também os pais, como corte de cabelo, cuidados com a saúde, higiene bucal e alimentação, entre outras. Para esses serviços também serão fechadas parcerias. 

Haverá também um refeitório e será oferecida, ao menos, uma alimentação por dia aos pacientes e acompanhantes.  

Estágio e residência para garantir atendimentos 

Integrantes da associação do hospital já tem reunião agendada com estudantes da Faculdade da Serra Gaúcha (FSG) para firmar convênios e assim montar as equipes técnicas. Os primeiros contatos são para apresentar propostas e explicar como o hospital irá funcionar. A ideia é que os estudantes possam estagiar ou fazer residência no centro médico. Inicialmente, o complexo hospitalar irá funcionar em horário comercial, e depois, conforme os recursos, o funcionamento poderá ser ampliado. 

Área esportiva

O terreno é extenso e irá comportar tanto o complexo hospitalar, quanto a área esportiva. Serão construídas duas quadras, uma de futebol e outra de vôlei, além de uma pista de caminhada. 

Para que o público possa frequentar o espaço em dias mais frios e chuvosos, o auditório do hospital ficará à disposição dos pacientes. 

Como ajudar 

O idealizador espera receber verbas provenientes do imposto de renda de pessoas físicas e jurídicas, por meio das leis federais de incentivo.

Leia também:
MP questiona demora na abertura de UBS Cristo Redentor em Caxias
Parto humanizado ganha espaço na Serra com nova proposta em hospitais e reforço do trabalho de doulas
Situação do HG deve ser anunciada nesta terça-feira

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros