Grupo mantém sonho de engenheiro e se une para construir observatório astronômico aberto ao público na Serra - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Para além das coxilhas - parte 123/06/2018 | 06h00Atualizada em 24/06/2018 | 21h04

Grupo mantém sonho de engenheiro e se une para construir observatório astronômico aberto ao público na Serra

Unidade para estudar estrelas e planetas contribuiria para o turismo e a educação em Vacaria e região

Grupo mantém sonho de engenheiro e se une para construir observatório astronômico aberto ao público na Serra Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Certa vez, Fernando Borsoi ajustou o telescópio para um pequeno ponto luminoso no céu dos campos de Vacaria e chamou amigos para uma pequena fila. Engenheiro eletricista com alma de astrofísico, Borsoi queria mostrar como uma lente pode romper a noite e alcançar mundos e paisagens celestes que a maioria só conhece nas reproduções de livros e internet. 

Leia as outras partes desta reportagem
Voluntários dos Campos de Cima da Serra querem popularizar estudos sobre estrelas e planetas
São Francisco de Paula vai inaugurar observatório astronômico em julho

Mesmo a 1,4 bilhões de quilômetros de distância, o mítico planeta Saturno e seus anéis de gelo, rocha e poeira se revelaram tão poderosos a ponto de mexer com os corações e as mentes curiosas ao redor do engenheiro. Foi um momento inesquecível.

Borsoi partiu cedo, aos 52 anos, vítima de um câncer há três meses. Como legado, deixou o projeto de um observatório astronômico em Vacaria, ideia lançada em 2015 e que hoje engaja pessoas de diferentes profissões para viabilizá-lo. Se as pedras forem assentadas como sonhava o engenheiro e como querem os voluntários, será um feito científico em tanto para uma comunidade mais conhecida pela pecuária e agricultura.

Borsoi acreditava que a astronomia é parte da essência humana. Assim, queria permitir que moradores de Vacaria e de outras cidades tivessem um local apropriado para apreciar as belezas da Via-Láctea e desbravar os mistérios da ciência e da origem da vida. Seria uma forma de popularizar um tema geralmente árido e desprezado por muitas pessoas, mas com potencial de impactar na educação de crianças e adultos. 

O projeto, avaliado em R$ 450 mil, está sendo coordenado pelos integrantes da Sociedade de Estudos Astronômicos de Vacaria (Seav), entre eles, médicos, arquitetos, empresários, servidores públicos, professores e comerciantes. Será o primeiro observatório público da Serra. A unidade terá um terraço em forma de cúpula, jardim, sala multiuso e anfiteatro, um dos poucos com tamanha estrutura no Estado. A Seav segue firme no desejo de erguer a construção numa área afastada da zona urbana de Vacaria, onde há pouca luminosidade artificial, ponto-chave para estudos astronômicos. Os associados não querem ser os donos do mirante estelar e projetam o espaço como um local a ser apropriado pela população da cidade e da região.

Cunho social

A missão não tem sido tão fácil e soa incompreensível para quem não está dentro do projeto. A notícia de que deputado federal Luís Carlos Heinze destinou uma emenda parlamentar para viabilizar a obra no final do ano passado gerou críticas, pois esse dinheiro seria bem-vindo para pavimentações e outras urgências estruturais no município, embora o recurso seja insuficiente para aplacar os problemas da cidade. Teve quem apontasse outro detalhe: Vacaria não teria muitas noites de céu limpo para a observação do cosmo. Contudo, a Seav quer provar que a cidade e a Serra só tem a ganhar com a novidade. 

— Nossa proposta é de cunho social. O Observatório Astronômico Educacional Regional pretende desenvolver  uma rede de popularização da ciência, tecnologia e inovação. Pretende atingir desde o ensino primário até o superior, com capacitação de professores e valorização da observação científica, estimulando a vocação junto ao público — explica Vilson Ceron, integrante da associação e diretor de captação de recursos da prefeitura.

O interessante, segundo a Seav e algumas lideranças locais, é que projeto pode ser vislumbrando dentro de um roteiro de visitação turística, o que incluiria um polo vitivinícola que está sendo gestado, o parque de rodeios, as belezas naturais e o trem — o uso da malha ferroviária para passeios está em teste. De olho no potencial, a prefeitura decidiu encampar a ideia do observatório e deve aplicar recursos municipais. A emenda de Heinze terá de ser devolvida, pois a destinação original previa a aplicação na área turística, mas o governo federal entendeu que o repasse deveria ser para ciência e tecnologia. 

— Tu tendo as vinícolas, a rede ferroviária para passeios, o parque de rodeios, as belezas naturais, a maçã e o observatório, tu faz algo grande, um roteiro que vai atrair visitantes, recursos. No contexto do turismo, o observatório ganha muita força — defende o vereador Marcelo Dondé, um dos responsáveis por captar recursos. 

—  O observatório abre o leque para pesquisas avançadas, onde se possa integrar com a base de dados mundial — complementa o médico Jonatas Accioly Filho, presidente da Seav.  

A previsão é começar a obra em 2019, faltando apenas confirmar o local onde será instalada a estrutura. O ponto mais viável no momento é uma área de um hectare e meio na propriedade da Embrapa Uva e Vinho, às margens da BR-285, em direção a Bom Jesus. É uma posição estratégica devido ao acesso facilitado da rodovia, a cinco quilômetros do centro da cidade.

— Nossa região tem um céu limpo propício para observação celeste — garante Ceron, apontando para as coxilhas da cidade. 

O OBSERVATÓRIO

:: O projeto Observatório Astronômico Educacional Regional consiste num prédio com sala multiuso, sanitários, estacionamento, jardim, anfiteatro, parque de brinquedos educacionais e relógio do sol, entre outros. Na cúpula, será instalado um telescópio automático que acompanha o movimento rotacional da Terra.

:: Segundo o físico Claudio Bevilacqua, o equipamento previsto para o local permite ver detalhes de planetas como Marte, Júpiter e Saturno e objetos ainda mais distantes como estrelas duplas e aglomerados de estrelas.

Caderno Viver SC - Videira
Projeto de Vacaria é semelhante ao observatório de Videira, em Santa Catarina (foto)Foto: Pedro Schaitel / Divulgação

:: O terreno mais provável para receber a construção é uma área no terreno da Embrapa Uva e Vinho, na BR-285, a cinco quilômetros do centro da cidade. A ocupação do espaço depende de acordo entre o município de Vacaria e a União.

:: A unidade será gerida pela Seav, mas pertencerá ao município de Vacaria.

Leia também
Universidade de Caxias do Sul quer controlar acesso ao campus
Merendeiras ainda não receberam pagamentos de rescisões em Caxias 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros