Caxiense fará transplante de células-tronco em SP - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Doença de Chohn03/06/2018 | 13h31Atualizada em 03/06/2018 | 13h37

Caxiense fará transplante de células-tronco em SP

Bruno Roberto Caldart embarca para São José do Rio Preto nesta segunda-feira

Caxiense fará transplante de células-tronco em SP Roni Rigon/Agencia RBS
Diagnosticado com doença de Crohn há 13 anos Bruno embarca para São José do Rio Preto (SP) nesta segunda-feira Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Diagnosticado com doença de Crohn há 13 anos, o estudante de Jornalismo Bruno Roberto Caldart, 27 anos, embarca para São José do Rio Preto (SP) nesta segunda-feira para fazer um transplante de células-tronco. Acompanhado pelos pais, ele passará por consulta com os médicos na terça-feira, quando será marcada a data da cirurgia.  

Para conseguir arcar com os custos do procedimento, que giram em torno de R$ 300 mil (R$ 275 mil da intervenção cirúrgica e o restante para arcar com as despesas para ficar no mínimo três meses em São Paulo), Caldart criou uma campanha online para arrecadar recursos. Ele também entrou na justiça em busca do tratamento, que não é custeado pelo SUS ou convênios. O processo, no entanto, não garantiu a realização do transplante, que só será possível porque a arrecadação surtiu efeito e despertou a solidariedade das pessoas. Contudo, o jovem ainda precisa de cerca de R$ 40 mil. 

O estudante explica que a doença provoca a inflamação do intestino, provocando perda de peso, anemia e, em alguns casos, até a retirada de parte do órgão. As células-tronco conseguem produzir anticorpos que não atacam o intestino.

— Estou ansioso agora pela viagem, mas confiante no tratamento. Fiz todos os exames, não apareceu nada de diferente e estou apto a realizar o procedimento. A questão judicial está demorando mais tempo do que o esperado. Já em relação à campanha, demorou até menos tempo. Com a ajuda de todos, conseguimos arrecadar parte dos recursos, mas ainda preciso de ajuda — pede. 

Desde 2005, quando descobriu a doença, Caldart já passou por quatro cirurgias: a primeira foi em 2008, para retirada de parte do intestino. O último procedimento ocorreu em 2011. No entanto, desde o ano passado, as medicações passaram a não fazer efeito no organismo dele. 

COMO AJUDAR

Quem quiser ajudar pode colaborar por meio da vaquinha online, no link bit.ly/2IeJtTR, depósito em conta corrente (Caixa Econômica Federal, em nome de Roberto Caldart, agência 3112, conta 08066 - 6, operação 013) ou participando de um almoço beneficente no dia 8 de julho no salão da Igreja Divino Espírito Santo, no Vila Leon. Os ingressos custarão R$ 40 e estarão à venda na Rádio Caxias.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros