Após protestos contra mensalidade de R$ 11,7 mil, estudantes de Medicina negociam redução do valor com a UCS - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Ensino Superior22/06/2018 | 09h22

Após protestos contra mensalidade de R$ 11,7 mil, estudantes de Medicina negociam redução do valor com a UCS

Em nota, universidade diz que preço está dentro do acordo firmado em contrato

Após protestos contra mensalidade de R$ 11,7 mil, estudantes de Medicina negociam redução do valor com a UCS Caroline Maslonek/Divulgação
Estudantes fizeram protestos contra cobrança Foto: Caroline Maslonek / Divulgação

Estudantes de Medicina e a Universidade de Caxias do Sul (UCS) negociam a revisão do valor cobrados para o chamado internato, quando os alunos realizam estágios na fase final do curso. Alunos fizeram protesto contra a forma de cobrança para quem ingressou no curso entre 2014 e 2016. Segundo eles, a mudança no currículo elevaria o custo para R$ 11,7 mil por mês. 

De acordo com a estudante Roberta França, o valor pago até o quarto ano do curso é de R$ 4,8 mil por mês pela turma dela. A aluna diz que é comum que a partir do nono semestre ocorra aumento da carga horária, mas redução do preço da mensalidade por causa da diminuição do custo da hora aula. Ainda de acordo com a aluna de Medicina, esse movimento equilibrava os valores e fazia com que o aumento não fosse tão expressivo como ocorre com a turma dela, a primeira que entrou sob as regras de um novo currículo em 2014. 

Em reunião nesta semana, a UCS apresentou uma proposta. Segundo a estudante Fernanda Buffon, a Reitoria sugere redução de 14,43% no valor e parcelamento em 36 vezes do custo total do período do internato. Se mantido o preço atual por crédito cursado, Fernanda diz que os últimos dois anos do curso custariam cerca de R$ 245 mil. Três semestres demandam investimento de aproximadamente R$ 70 mil cada, enquanto o último tem redução para metade desse valor devido à diminuição de horas cursadas nos diferentes períodos. 

Em uma análise inicial, os estudantes não ficaram satisfeitos com a proposta, mas ainda avaliam se irão ou não aceitar. Eles querem redução de 44,11% sobre o valor de R$ 70 mil por semestre durante a fase dos estágios. 

A UCS ainda não confirmou os percentuais. Por meio de nota, o reitor Evaldo Antônio Kuiava disse que "embora com sacrifícios econômico e financeiro por parte da Instituição, as propostas feitas abrangem percentual de desconto sobre as mensalidades e, também, compromissos com a realização de melhorias da infraestrutura, conforme as solicitações dos acadêmicos". Ele salienta ainda que a cobrança está de acordo com o contrato firmado.

O reitor afirma ainda que a UCS tomou medidas para solucionar a situação para alunos que ingressaram a partir de 2017. O valor cobrado para os estágios passaram a ser diluídos ao longo do curso e não mais concentrados na fase final. 

Confira a nota divulgada pela UCS:

A Universidade de Caxias do Sul vem, em face das manifestações e pleitos dos acadêmicos do curso de Medicina, esclarecer:

1. Os valores das mensalidades do curso de Medicina, estabelecidas pela Instituição, estão, rigorosamente, de acordo com as normas legais e com os contratos celebrados com os acadêmicos.

2. Parte do pleito dos acadêmicos, ingressantes entre 2014 e 2016, diz respeito à concentração dos custos das mensalidades entre os semestres 9º e 11º, no denominado internato (estágios) do curso de Medicina.

3. Ciente das dificuldades enfrentadas pelos alunos, a Instituição já tomou medidas para solucionar as questões. Assim, todos os acadêmicos do curso de Medicina que ingressaram na Universidade a partir de 2017 não terão mais essa concentração de custos durante o período do internato (estágios), uma vez que estes foram diluídos ao longo dos demais semestres.

4. Em atenção aos pleitos e sensibilizada com a situação dos acadêmicos que ingressaram na Universidade entre 2014 e 2016, a Instituição, após negociação com representantes do curso de Medicina, apresentou proposta formal para solução das questões identificadas.

5. Embora com sacrifícios econômico e financeiro por parte da Instituição, as propostas feitas abrangem percentual de desconto sobre as mensalidades e, também, compromissos com a realização de melhorias da infraestrutura, conforme as solicitações dos acadêmicos. Essas propostas continuam sendo discutidas com os representantes do curso de Medicina.

6. Neste contexto, a Universidade de Caxias do Sul, num momento difícil da vida social e econômica do país, demonstra seu compromisso com o diálogo contínuo e construtivo, compartilhando da preocupação dos seus acadêmicos.

7. A Universidade de Caxias do Sul reitera seu compromisso com o ensino de qualidade e os valores comunitários que são sua razão de existir.

Caxias do Sul, 21 de junho de 2018.

Prof. Dr. Evaldo Antônio Kuiava – Reitor da Universidade de Caxias do Sul

Leia também:
Com ajuda da comunidade, menino com tumor grave de Bento Gonçalves passa por cirurgia nesta quinta-feira
Processo contra padre Ezequiel Dal Pozzo é arquivado
Câmara de Vereadores de Caxias do Sul rejeitou só um projeto do Executivo 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros