Nova presidente do Lar da Velhice tem desafio de qualificar gestão e manter humanidade - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Mudança14/04/2018 | 07h02Atualizada em 14/04/2018 | 07h02

Nova presidente do Lar da Velhice tem desafio de qualificar gestão e manter humanidade

Analice Carrer assume o posto deixado por Léa Signori, que atuou na entidade por quase 30 anos

Nova presidente do Lar da Velhice tem desafio de qualificar gestão e manter humanidade Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

A empresária Analice Carrer, 60 anos, assume, a partir deste sábado, a presidência do Lar da Velhice São Francisco. Uma das fundadoras da empresa Anay Fitas, ela é conhecida por sua atuação em entidades de classe de Caxias do Sul, tendo sido presidente da CDL — hoje, ocupa a presidência do Conselho Superior da entidade —  da Aanergs e da Microempa, além de ter passado pela vice-presidência da CIC.

Leia mais:
Presidente do Lar da Velhice São Francisco se despede após três décadas de atuação

Desde janeiro, vinha conversando com a Ordem Franciscana Secular e, depois de muito pensar, aceitou o desafio de estar à frente da entidade.  

— Não me imaginava presidindo, pensei muito, pensei de novo, e cheguei a conclusão de que, se é para a gente fazer o bem, melhorar a vida de um ser semelhante, que seja. Decidir abraçar, me sinto ainda com muita energia boa e disposição. Durante toda a minha vida, sempre estive envolvida, de alguma forma, com entidades de classe. Por isso vi de perto, pelos eventos beneficentes que realizávamos, o trabalho da entidade, a solidariedade, e a forma como Caxias adotou o Lar São Francisco — relata. 

Entre o Lar da Velhice e o Recanto das Laranjeiras atuam mais de 100 funcionários, em três turnos, conforme Léa Signori, que atuou por quase 30 anos na entidade — 21 dos quais na presidência. "Mais do que empresas que movimentam milhões", costuma brincar. Por isso, Analice espera poder qualificar ainda mais a gestão da entidade, mantendo, é claro, a humanidade do atendimento.

— O primeiro passo é ter um conhecimento um pouco mais aprofundado (do local). Toda a minha vida como empresária foi centrada nas pessoas, e entendo que agora, além de ter esse cuidado, tem que ter um coração enorme. Além das necessidades, as pessoas que estão lá precisam de muito carinho, muito amor. Vai ser em cima disso que a gente vai conduzir e trabalhar. E eu gosto dos bastidores, de organizar. O anonimato é legal, fazer o bem sem precisar de muitos holofotes — projeta.

Para ajudar

:: A maioria dos idosos que usa os serviços do Lar da Velhice São Francisco de Assis chega ao local porque as famílias não têm condições de providenciar os cuidados necessários para eles. Hoje, a instituição atende gratuitamente  70 idosos.

:: A contribuição da comunidade é fundamental para manter o espaço. Qualquer donativo é bem-vindo, mas, principalmente, valores para pagamento das contas mensais e da folha de pagamento, que consome a maior parte dos recursos recebidos. No ano passado, inclusive, a administração do local ficou meses sem saber se conseguiria pagar o 13º salário dos trabalhadores. 

:: Quem tem interesse em contribuir pode entrar em contato diretamente com o Lar da Velhice pelo telefone (54) 3225-1677.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros