RS e SC se mobilizam para que Caminho dos Cânions do Sul ganhe certificação da Unesco - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Esforço conjunto07/03/2018 | 14h07Atualizada em 07/03/2018 | 14h07

RS e SC se mobilizam para que Caminho dos Cânions do Sul ganhe certificação da Unesco

Autoridades acreditam que o reconhecimento impulsione o turismo na região, que abrange sete municípios dos dois Estados

RS e SC se mobilizam para que Caminho dos Cânions do Sul ganhe certificação da Unesco Roni Rigon/Agencia RBS
Geoparques são áreas geográficas unificadas, com patrimônios geológicos e paisagens de relevância internacional Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Rio Grande do Sul e Santa Catarina firmaram uma carta de intenções conjunta para que a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) reconheça o Caminho dos Cânions do Sul como um Geoparque Mundial. O documento, entregue ao consultor da Unesco José Patrício Melo, é um primeiro passo para obter a certificação. A região reúne uma área de 2.830 quilômetros quadrados em sete municípios dos dois Estados. 

Os geoparques são áreas geográficas unificadas, com patrimônios geológicos e paisagens de relevância internacional. Os membros do órgão internacional trabalham com foco em sustentabilidade, preservação, proteção e envolvimento das comunidades locais. Com o reconhecimento da Unesco, a projeção é que o turismo na região seja beneficiado. 

Segundo o secretário de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul, Victor Hugo, a próxima etapa é a formalização da candidatura, que depende do governo federal. Para o secretário, a carta de intenção é importante porque mostra a aproximação institucional dos dois Estados interessados.

— Se colocarmos (o Caminho dos Cânions) na rede mundial, estaremos agregando um diferencial competitivo ao turismo. Toda a região será beneficiada — afirma.

Enquanto o secretário ainda é cauteloso em relação a prazos para o processo de certificação, o prefeito de Torres e presidente do Consórcio Intermunicipal Caminho dos Cânions do Sul, Carlos Alberto de Souza, está mais otimista. Ele estima que o reconhecimento possa ocorrer em três anos:

— O sentimento que a gente tem dos órgãos reguladores é muito positivo, pelo que eles encontraram aqui. Os cânions são maravilhosos.

De acordo com o prefeito, ainda há algumas exigências a serem cumpridas, como levantamentos históricos, instrução da comunidade sobre os cânions e capacitação de professores para trabalhar o assunto em sala de aula. Souza explica que o consórcio tem R$ 400 mil à disposição, em recursos dos municípios, para desenvolver essas atividades. 

Os municípios que integram esse consórcio são Cambará do Sul, Mampituba e Torres, no Rio Grande do Sul, e Morro Grande, Timbé do Sul, Jacinto Machado e Praia Grande, em Santa Catarina.

No mundo, há 127 geoparques da Unesco em 35 países. Um deles é no Brasil, o Geopark Araripe, no Ceará.

 Leia também
"Estavam dispostos a matar rivais", disse subcomandante da BM sobre grupo que sitiou comunidade em Caxias
"Eles ofereciam drogas com preços tabelados", conta morador de comunidade invadida por criminosos em Caxias
Bairro da área central de Caxias é sitiado por criminosos armados com fuzil

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros