Pronto-socorro do Hospital Pompéia, em Caxias, opera no limite  - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Superlotação14/03/2018 | 19h53

Pronto-socorro do Hospital Pompéia, em Caxias, opera no limite 

Casos menos graves recebem a orientação de procurar outros serviços de saúde

Pronto-socorro do Hospital Pompéia, em Caxias, opera no limite  Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

 O pronto-socorro do Hospital Pompéia está com atendimento comprometido devido à superlotação do setor nesta quarta-feira. O aumento de procura de pacientes fez com que a instituição emitisse uma nota solicitando à comunidade que evitasse procurar o setor em casos mais simples. Pacientes de menor gravidade que chegam ao hospital recebem a orientação para que procurem outros serviços, como unidades básicas de saúde (UBSs), o Postão 24H ou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Norte. Todos os casos de urgência e emergência são atendidos.

— Chegou um momento do dia que estávamos com 31 pacientes em atendimento. Não tínhamos condição. Nós sabemos que para o paciente o melhor é procurar o hospital, já que tem todos os recursos, mas acontece que nós ficamos superlotados e não conseguimos dar este atendimento —  explica a médica Raquel Ruviaro Odorissi.

Todos os leitos estão ocupados, obrigando alguns pacientes a estarem em poltronas ou acomodados na enfermaria especial. Segundo a médica, nove pacientes estavam acomodados em quatro leitos do pronto-socorro durante a tarde, ilustrando a gravidade da situação. Uma das justificativas que pode ter motivado a superlotação, segundo Raquel, é que o setor de hemodinâmica do Hospital Geral (HG) está em manutenção, o que torna o Pompéia o único habilitado a receber atendimentos de vítimas de infarto, por exemplo. A Secretaria Estadual da Saúde foi comunicada sobre a situação, e na próxima semana, a instituição deve acionar o Ministério Público (MP) para que estude a viabilidade da instituição em receber todas as demandas espontâneas da comunidade.

— A gente acaba atendendo a todos os pacientes que chegam, mas o que nos resta é explicar para a população nossa situação — afirma.

O Pronto-Socorro do Hospital Pompéia é referência em 48 municípios no atendimento em urgência e emergência, abrangendo situações de risco iminente de morte, como acidentados, suspeita de infartos, derrames, apendicite, pneumonia, fraturas, crises convulsivas, perda de consciência, entre outras complicações.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros