Promotor Rodrigo Vieira pede exoneração para advogar - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Saída do Ministério Público07/03/2018 | 17h00Atualizada em 07/03/2018 | 17h00

Promotor Rodrigo Vieira pede exoneração para advogar

Membro do MP ficou conhecido por atuar em casos famosos no Estado, como o da morte de homem errado em Uruguaiana e jovem que matou miss na Serra

Promotor Rodrigo Vieira pede exoneração para advogar Cristiane Barcelos/Agência RBS/
Vieira foi promotor no julgamento de Eduardo Farenzena, em Caxias do Sul Foto: Cristiane Barcelos/Agência RBS

 O promotor Rodrigo de Oliveira Vieira solicitou exoneração do cargo no Ministério Público (MP) na manhã desta quarta-feira (7) para se dedicar à carreira de advogado criminalista. Ele ficou conhecido por atuar em tribunais do júri que ficaram famosos no Estado, como o da morte de "homem errado" em Uruguaiana e do jovem que matou miss na Serra.

Enquanto muita gente aspira a carreira no MP, a decisão de largar o cargo de promotor chama atenção. No Facebook, declarou que precisava ser honesto consigo mesmo e, procurado pela reportagem, acrescentou:

— Depois de mais de dois anos de reflexão, cheguei a conclusão que minha vocação mesmo é advogar. A função de acusar era algo que me causava desconforto nos últimos tempos — afirmou o ex-promotor.

Aos 46 anos, ele deixa a carreira depois de atuar mais de 16 como promotor. O primeiro processo de repercussão estadual foi em 2006, quando investigações desmontaram um esquema que lesou a Universidade da Região da Campanha (URCAMP) em mais de R$ 1 milhão, em valores da época.

Em 2011,  participou do julgamento em Uruguaiana de um crime que ficou conhecido como o caso do homem errado. Neste processo, policiais militares executaram, em 1995, um morador da cidade acreditando que ele seria o responsável pela morte de um brigadiano.

Na Serra Gaúcha, o caso de maior repercussão foi o do jovem Eduardo Farenzena, condenado por matar a candidata a Miss Itália Nel Mondo Caren Brum Paim, em Caxias Sul, em 2014. Atualmente, Vieira estava atuando em Santa Maria. Ele não informou onde pretende instalar o escritório de advocacia.

 Leia também
"Estavam dispostos a matar rivais", disse subcomandante da BM sobre grupo que sitiou comunidade em Caxias
"Eles ofereciam drogas com preços tabelados", conta morador de comunidade invadida por criminosos em Caxias
Bairro da área central de Caxias é sitiado por criminosos armados com fuzil 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros