Grupo de trabalho busca ajuda da Igreja Católica para reformar a Penitenciária do Apanhador, em Caxias - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Sistema prisional14/03/2018 | 11h24Atualizada em 14/03/2018 | 11h26

Grupo de trabalho busca ajuda da Igreja Católica para reformar a Penitenciária do Apanhador, em Caxias

Quase R$ 350 mil são necessários para que projeto de adequação estrutural do local saia do papel

Grupo de trabalho busca ajuda da Igreja Católica para reformar a Penitenciária do Apanhador, em Caxias Greice Tedesco/Divulgação
Foto: Greice Tedesco / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Setores ligados aos problemas do sistema prisional de Caxias do Sul se reuniram com o bispo da Diocese da cidade, Dom Alessandro Ruffinoni, em busca de soluções. No encontro, realizado na tarde desta terça-feira (13), a vereadora Paula Ioris (PSDB), presidente da Comissão Temporária Especial para o Enfrentamento da Violência do legislativo municipal, buscou ajuda financeira da Igreja Católica para tirar do papel o projeto de adequação estrutural da Penitenciária Estadual de Caxias (Apanhador). 

Leia mais
Juízes relatam domínio de presos no Apanhador e sugerem interdição de casas prisionais de Caxias do Sul
Estrutura da penitenciária no Apanhador, em Caxias, favorece facções criminosas, apontam juízes

De acordo com a assessoria da vereadora, a ideia é ocupar as seis salas de aula e os três pavilhões de trabalho na unidade para levar trabalho e estudo aos apenados do regime fechado, o que nunca aconteceu. Seriam necessários R$ 342 mil para as obras. 

Também participaram da reunião a juíza da Vara de Execuções Criminais de Caxias, Milene Fróes Dal Bó, a psicóloga da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e coordenadora da Justiça Restaurativa no Fórum, Priscila Bállico, e o coordenador da Pastoral Carcerária da Diocese e vice-presidente do Conselho da Comunidade do município, Fernando Marca.

Os presentes ressaltaram a importância de investir no sistema prisional, já que, nas condições em que está, a Penitenciária do Apanhador seria uma "escola de criminalidade" para os apenados, que retornam jovens e sem qualificação e oportunidades para a sociedade. 

O bispo Dom Alessandro informou que a Igreja não dispõe de recursos próprios, dependendo de doações, mas prometeu encaminhar o projeto à Caritas, braço de atuação social da entidade. 

Leia também
Em alerta 24 horas: todos à procura da menina desaparecida em Caxias
Famílias atingidas por tornado em São Francisco de Paula lutam para superar perdas

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros