"E seu Raul estava lá. Apertando a mão de todos" - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Depoimentos 04/03/2018 | 13h09Atualizada em 04/03/2018 | 15h30

"E seu Raul estava lá. Apertando a mão de todos"

Filha de ex-funcionário da Randon relembrou de um momento marcante da trajetória do empresário e da própria família 

"E seu Raul estava lá. Apertando a mão de todos" Guilherme Jordani/Divulgação
Raul Randon, um dos empresários mais importantes do país, faleceu aos 88 anos Foto: Guilherme Jordani / Divulgação

"Meu pai trabalhou 27 anos na Randon. Aposentou-se lá. Além da lembrança de menina, de buscar meu pai ao final do expediente (eu chegava ansiosa e cheia de orgulho dizendo: "vim buscar o Corso"), por alguma meia-hora, minha irmã e eu brincávamos de escritório na mesa do meu pai. Lembro de algumas calculadoras, daquelas que imprimiam uma notinha e daqueles blocos de notas grande milimetrado. Fazíamos contas e desenhos. Mas das lembranças mais tocantes, ficam as festas de final de ano para os funcionários. A lembrança me vem com imagens em filtros coloridos, em tons rosados e azuis, de um leve sépia. Éramos meninas pequenas, minha irmã e eu. Eu devia ter uns 10, ela, sete. Ficávamos ansiosas pelo dia da Festa, que, muitas vezes coincidia com o meu aniversário (19 de dezembro). A festa era para todas as famílias dos funcionários. Todas. Do chão de fábrica à diretoria. E acontecia no pátio da Randon. Preferi escrever esse texto sem consultar o meu pai, mas eu penso que a festa reunia umas 5 mil pessoas, entre adultos e crianças. E seu Raul estava lá. Apertando a mão de todos, e chamando muitos, mas muitos mesmo, pelo nome. Lembro que ganhávamos um ticket para retirar os nossos lanches e brinquedos. Ontem à noite, ao saber da morte do seu Raul, de imediato me veio essa lembrança, adormecida lá no fundo da memória entre muitas. Meu pai fez silêncio no grupo da família. Imagino que outras tantas vieram até ele. Fica aqui, a minha pequena homenagem ao Raul Randon. Um visionário nato, um cidadão de irretocável caráter e um homem de boníssimo coração."

Daniela Giovana Corso (arquiteta, 42 anos, filha de seu Dalvi Rui Corso, 75 anos, funcionário da Randon por 27 anos, aposentado como supervisor de setor de pós-vendas)

Leia mais:
Empresas Randon prestam homenagem ao fundador
Morre Raul Randon, fundador das Empresas Randon
Velório de Raul Randon acontecerá no Memorial São José, em Caxias
Legado Randon é um dos motores da economia
Senador Paim apresentará voto de pesar ao Senado
"Ele foi o marco divisor da nossa cidade", comenta presidente da CIC sobre Raul Randon
Informações atualizadas sobre o velório e a cremação de Raul Randon
Gratidão, Raul Anselmo Randon!
"Raul Randon construía homens", lembra  Emílio Finger
"Raul Randon levou o nome de Caxias para o mundo", diz o prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra
"Um dos caxienses mais ilustres da história", diz nota da Câmara de Vereadores
Coração frágil e complicações de cirurgia causaram a morte de Raul Randon
"A última palavra ainda era dele", diz o amigo e ex-presidente da CIC sobre Raul Randon
"Era ele que atendia o celular", lembra Germano Rigotto sobre Raul Randon
Governador José Ivo Sartori lamenta morte de Raul Randon   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros