Mais de 80 policiais participaram de cerco a criminosos que atacaram carro-forte em Bento Gonçalves - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Operação06/02/2018 | 21h14Atualizada em 07/02/2018 | 20h01

Mais de 80 policiais participaram de cerco a criminosos que atacaram carro-forte em Bento Gonçalves

As equipes locais ganharam reforço de três helicópteros da Polícia Civil, Brigada Militar e PRF

Mais de 80 policiais participaram de cerco a criminosos que atacaram carro-forte em Bento Gonçalves Porthus Junior/Agencia RBS
No Pegeout, os bandidos colocaram a metralhadora e os explosivos que restaram do rompimento do cofre do transporte de valores Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Criminosos atacaram um caixa-forte nesta terça-feira na BR-470, em   Bento Gonçalves . Para uma ação criminosa de tamanha magnitude veio a resposta dos órgãos de segurança pública da região. Cerca de 80 policiais da Brigada Militar, da Polícia Civil e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de pelo menos sete cidades da região _ Bento Gonçalves, Garibaldi, Veranópolis, Carlos barbosa, Caxias, Monte Belo do Sul, Santa Tereza _ foram empregados no cerco e a captura do bando, assim como cães farejadores do 12º Batalhão da Polícia Militar, com sede em Caxias. As equipes locais ganharam reforço de três helicópteros da Polícia Civil, Brigada e PRF, e mais policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da BM e do Deic de Porto Alegre.

 Leia mais
Carro-forte é atacado na BR-470 em Bento Gonçalves
Após cerco, polícia liberta refém e prende três suspeitos de ataque a carro-forte na Serra  
"O bandido se rendeu", relata homem que foi surpreendido por criminosos enquanto trabalhava em Monte Belo do Sul 

Enquanto os policiais por terra cercavam o provável perímetro de fuga dos bandidos, outros faziam bloqueios nas estradas e rodovias. Ninguém passava pelos pontos sem ter os documentos verificados e o veículo revistado.

 MONTE BELO DO SUL, RS, BRASIL, 06/02/2018. Criminosos roubam carro-forte em Beto Gonçalves e fazem família refém, trocam tiros com a polícia. Três foram presos e pelo menos três seguem foragidos no interior de Monte Belo. Três fugiram em uma Montana prata. Uma metralhadora .50 foi apreendida. (Porthus Junior/Agência RBS)
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A perseguição começou depois que os criminosos deixaram a BR-470, onde ocorreu o ataque ao carro-forte, em um Corolla preto e em uma Montana prata, deixando para trás a Tucson onde estava acoplada, inicialmente, a metralhadora utilizada na ação. Eles seguiram por estradas vicinais até Monte Belo do Sul. Na cidade de pouco mais de 2,6 mil habitantes, roubaram dois carros de uma propriedade _ um C4 preto e um Pegeout branco. No caminho também teriam roubado um Honda Civic, abandonado mais tarde. No Pegeout, os bandidos colocaram a metralhadora e os explosivos que restaram do rompimento do cofre do transporte de valores. 

Ao chegarem por uma via de acesso ao município a ERS-444 depararam com uma barreira da Brigada. Houve confronto e troca de tiros com os bandidos. O C4 e o Pegeout foram abandonados no local e os bandidos fugiram pelo mato. Os coupantes da Montana que seriam dois conseguiram furar o bloqueio e fugiram. Não há informações sobre o paradeiro deles. Três homens foram presos nos arredores do local do confronto _ um deles ferido com um tiro na perna esquerda. Antes de ser detido um dos homens conseguiu chegar a uma propriedade perto, rendeu e fez refém uma mulher de 29 anos. 

Armado e desesperado, o assaltante rendeu a vítima, que é atendente em uma transportadora de Bento Gonçalves e passava as férias na casa dos pais.  A mãe dela também estava em casa, mas levou um susto e desmaiou ao avistar o criminoso. A idosa foi deixada na cozinha e a refém foi levada para a garagem.

— Ele não pediu nada, só fez a minha irmã refém. Ela foi agredida com uma cotovelada e (o criminoso) ameaçou matar o nosso cachorro porque ele não parava de latir. Nenhum tiro foi disparado e o bandido se rendeu diante de todo aparato policial, inclusive com os dois helicópteros sobrevoando a região — relata o produtor rural Cleber Brandalise, que trabalhava na lavoura quando os criminosos chegaram.

A refém foi libertada por volta das 12h30min, após mais de uma hora de negociação entre a BM e o assaltante. No restante da tarde desta terça-feira, a propriedade da família Brandalise serviu de base para a movimentação policial na região. A estimativa é que o bando seja integrado por oito assaltantes. Ou seja, cinco estariam foragidos até o momento _ dois que fugiram na Montana e três que estariam escondidos no mato. 

QUEM SÃO OS PRESOS

:: Luigi Pereira da Silva, 20 anos _ Não tem passagens pela polícia e seria o integrante do bando chamado de "segundinho", que é a pessoa sem ficha criminal que dirige um veículo que também não tem ocorrências relacionadas, ou seja, consegue passar por locais de fiscalizações, e que leva armas, artefatos e material do roubo 

:: Fernando Toledo Bastos, 38 anos (gringo) _ Tem passagens policiais por roubo e teria sido preso por participação no assalto à agência da Caixa Econômica Federal (CEF) de Garibaldi em 2009

:: Marcelo Veloso da Silveira, 35 anos _ Não há informações se tem passagens pela polícia. Foi o homem ferido  na perna durante o confronto com a polícia 




 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros