Ação policial apreende 549 quilos de maconha na BR-116, em Vacaria - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Tráfico09/02/2018 | 15h25Atualizada em 09/02/2018 | 18h43

Ação policial apreende 549 quilos de maconha na BR-116, em Vacaria

Entorpecentes estavam em uma caminhonete que rompeu a barreira policial

Ação policial apreende 549 quilos de maconha na BR-116, em Vacaria Polícia Civil/Divulgação
Foto: Polícia Civil / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Uma ação conjunta das polícias de Vacaria resultou na apreensão de 549 quilos de maconha na tarde de sexta-feira. De acordo com o delegado regional Carlos Alberto Defaveri, esta seria uma das três maiores apreensões de entorpecente realizadas nos Campos de Cima da Serra.

A ocorrência teve início quando o motorista de uma caminhonete Strada branca, vinda de Santa Catarina, rompeu uma barreira da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-116. A perseguição continuou pela cidade, contou com o reforço da Brigada Militar (BM) e Polícia Civil e terminou com a Strada colidindo contra um Saveiro estacionada.

O motorista, um homem de 26 anos, oriundo de Londrina (PR), foi preso em flagrante. Na caçamba e no compartimento do carona, foram encontrados centenas de pacotes de entorpecente. Além da maconha, também foram apreendidos dois revólveres e duas pistolas. A Strada estava com placas de Presidente Prudente (SP), mas os policiais acreditam que estas eram clonadas.

Uma ação conjunta da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Brigada Militar (BM) e Polícia Civil apreendeu uma grande quantidade de drogas em Vacaria na tarde desta terça-feira. Dezenas de pacotes de entorpecentes estavam em uma caminhonete Strada branca com placas de  Presidente Prudente (SP). A suspeita é que o veículo seja clonado.
Foto: Polícia Civil / Divulgação

Na sequência da perseguição, a BM localizou uma camioneta Hilux abandonada em parreirais entre os municípios de Campestre da Serra e São Marcos. Ao que tudo indica, o veículo dava apoio à Strada no transporte da droga. Os tripulantes da Hilux não foram localizados.

O delegado Defaveri afirma que o motorista foi pago para fazer um percurso que não conhecia e não sabia exatamente onde iria entregar — o que deverá ser esclarecido com as investigações. No entanto, os primeiros indícios apontam para os dois destinos tradicionais destes carregamentos: Serra e Região Metropolitana.

Após ser pesada, a droga foi levada sob escolta para o Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), em Porto Alegre.

Leia também:
Brigada Militar alerta para furtos e assaltos que podem ocorrer no Carnaval
Agricultor é baleado em assalto e tomba caminhão no interior de Caxias do Sul
"Os criminosos subestimaram o poder de fogo da Serra", afirma capitão da BM em Bento Gonçalves

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros