Simulador de direção é novidade para os motoristas no Senat de Caxias do Sul - Geral - Pioneiro

Versão mobile

 

Sistema S10/01/2018 | 07h00Atualizada em 10/01/2018 | 10h48

Simulador de direção é novidade para os motoristas no Senat de Caxias do Sul

Equipamento será usado em aulas para motoristas do transporte de passageiros a partir de março

Simulador de direção é novidade para os motoristas no Senat de Caxias do Sul Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

<< LEIA TAMBÉM: cursos profissionalizantes e de qualificação podem ser a porta para um novo emprego

A partir de março, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) de Caxias do Sul ofertará um curso com uso de simulador de direção para motoristas de caminhão e de ônibus cadastrados. O equipamento já está na sede do serviço, é utilizado, mas aguarda o término da construção de uma sala específica para entrar em operação oficialmente. O aparelho é semelhante aos existentes no Centros de Formação de Condutores (CFCs), porém, mais tecnológico, garante o coordenador de Desenvolvimento Profissional do Senat, Márcio Gonçalves. O investimento foi de R$ 1 milhão.

O simulador é uma ferramenta capaz de reproduzir de forma virtual em uma cabine, onde fica o motorista, as condições de trânsito vividas nas ruas. Em uma espécie de painel de controle, a instrutora insere no trajeto do aluno intercorrências como mudança de terreno, de clima, travessia súbita de pedestre e outros obstáculos que testam a reação e o comportamento do condutor. Ao final, o equipamento emite um relatório com as infrações e os erros cometidos e sobre o uso de combustível.

A atuação do Senat difere um pouco de outros serviços do Sistema S porque é voltada para o aperfeiçoamento de profissionais da área do transporte de passageiros, escolar, de cargas e de produtos perigosos. Para esse público, os cursos de especialização e atualização, que são exigidos por lei para o exercício das atividades, são gratuitos (inclusive o simulador). Basta comprovar o vínculo empregatício em empresa da área ou comprovante de prestador de serviço autônomo.

Mas, também há cursos abertos à comunidade. Nesse caso, pagos. O preço gira em torno de R$ 200. O requisito básico é ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) categoria D (exigida para veículos com capacidade acima de oito passageiros, como microônibus e ônibus). No Senat, os motoristas aprendem as normas para o transporte de passageiros e dos diferentes tipos de cargas, com as suas legislações específicas. Além de focar no comportamento do condutor. A média de atendimento é de 600 pessoas por mês.

Leia mais
Gastronomia é carro-chefe do Senac em Caxias
Cursos profissionalizantes e de qualificação podem ser a porta para um novo emprego

Existem, ainda, as modalidades à distância que são gratuitas a todas as pessoas. Alguns cursos são concebidos conforme a demanda das empresas do setor. Outra diferença em relação aos outros integrantes do Sistema S é que, para fazer o curso de Jovem Aprendiz no Senat, é preciso ser encaminhado pela empresa.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 08/01/2018. Senat de Caxias oferece cursos de qualificação para condutores de veículos de transporte, enquanto Sest oferece serviços para os associados. Grasiela Sonda, dentista do Sest, atende pacientes pela manhã. (Diogo Sallaberry/Agência RBS)
Odontologia é um dos serviços oferecidos pelo Sest para trabalhadores do setor de transporte e seus dependentesFoto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Junto às sedes das unidades do Senat, atua, de forma integrada, o Serviço Social de Transporte (Sest), com atendimento de odontologia, nutricionista, fisioterapia e psicologia. Todos gratuitos aos colaboradores do setor e seus dependentes e feitos por meio de agendamento. Num total de cerca de mil assistências mensais. 

O Senat é custeado pelas empresas por meio da contribuição ao INSS na folha de pagamento. O valor é repassado à Confederação Nacional dos Transportes que distribui para as unidades da federação. Isso ocorre também com as outras organizações do Sistema S, cada um na sua esfera de atuação. Ou seja, são os usuários que custeiam os serviços. O dinheiro passa pela União que direciona para cada área e, depois, fiscaliza o emprego nas atividades fim.

Leia também:
Emater estima redução de 20% nas safras de frutas na Serra na colheita 2017/2018
Promoções impulsionam vendas nas lojas de Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros