Frei Jaime: destino comum é a felicidade, mesmo que haja contratempos - Geral - Pioneiro

Opinoão27/12/2017 | 09h21

Frei Jaime: destino comum é a felicidade, mesmo que haja contratempos

Todos sabem que a vida é assim: muitas certezas e, sem dúvida, algumas instabilidades

Frei Jaime Bettega
Frei Jaime Bettega

jaime@ofmcaprs.org.br

"Que eu nunca mendigue paz para a minha dor, mas um coração forte para dominá-la." (Tagore).

Os dias estão sendo marcados, cada vez mais, pelo movimento e pelos inúmeros contatos, através de diversos meios. Fica a impressão de que, em alguns momentos do ano, os corações tornam-se menos rústicos e a agressividade parece ceder espaço à ternura. O ser humano é capaz do melhor, mesmo que nem sempre essa realidade seja visível. Se cada um se ocupasse, por uns instantes, na descrição da própria vida, teria tantos adendos a serem feitos à história pessoal.

Acertos e erros vão se alternando, sem deixar espaços vazios. O mesmo acontece com a alegria e a tristeza: uma quer roubar o lugar da outra. Porém, ninguém nasceu para tornar-se mendigo. O destino comum é a felicidade, mesmo que haja contratempos. Por vezes, alguns planos fracassam e o que não estava nos planos, acaba acontecendo. Todos sabem que a vida é assim: muitas certezas e, sem dúvida, algumas instabilidades.

A transitoriedade perpassa as horas, do amanhecer ao anoitecer. Até a dor gosta de fazer visitas. Bom seria se não fossem prolongadas. É bem verdade que nem todos os sofrimentos comportam um tratamento. Não convém, no entanto, mendigar paz para amenizar a dor. Será sempre um simples paliativo. Bom mesmo é harmonizar os batimentos cardíacos, no intuito de desencadear um enfrentamento aos momentos doloridos, que insistem em prolongadas visitas rotineiras. Que o coração tenha músculos reforçados ao ponto de 'bombear' serenamente a paz de cada dia e de todos os dias.

Leia também
Ciro Fabres: a semana que não existe
Natalia Borges Polesso: resoluções

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros