Escolas de Educação Infantil conveniadas com a prefeitura voltam às aulas em Caxias - Geral - Pioneiro

Greve encerrada05/12/2017 | 14h47Atualizada em 05/12/2017 | 15h03

Escolas de Educação Infantil conveniadas com a prefeitura voltam às aulas em Caxias

Conforme levantamento, as 45 escolinhas estão funcionando nesta terça-feira (5)

Escolas de Educação Infantil conveniadas com a prefeitura voltam às aulas em Caxias Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Após a saída do sindicato das educadoras infantis da greve da categoria, na noite desta segunda-feira (4), o movimento esvaziou. Um levantamento realizado junto às entidades que administram as 45 escolas de Educação Infantil municipais mostrou que todas as instituições voltaram a funcionar nesta terça-feira (5).

Na noite de segunda, o prefeito Daniel Guerra (PRB) apresentou o modelo de gestão compartilhada das escolinhas que será implantado em 2018. Na nova modalidade,  as educadoras receberão salário de R$ 1.831 por 40 horas semanais. O auxílio-alimentação e o prêmio assiduidade pagos hoje aos profissionais terão reajuste de 20%.  

Nominalmente, o salário das educadoras cairá R$467,80 em relação ao atual. Considerando a redução da carga horária e o aumento nos benefícios, porém, a remuneração ficaria R$ 81 menor do que a praticada hoje. A categoria buscava a manutenção do acordo coletivo vigente e garantias de recontratação para o próximo ano, demanda que ficou em aberto.

O presidente do Sindicato dos Empregados em Entidades, Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional (Senalba), Alceu Adelar Hoffmann, encerrou a greve ainda durante a reunião com Guerra.

— Resolvemos ontem, em assembleia, encerrar o movimento. Não podemos continuar com a greve após a proposta, seria ilegal. Agora, vamos continuar negociando as outras clausulas com as entidades, não tem nada a ver com a prefeitura — defende.

Apesar do alívio para as famílias das cerca de 4,3 mil crianças atendidas pelas instituições, para parte das professoras, a paralisação teve um fim amargo. Educadoras contatadas pelo Pioneiro dizem que foram coagidas a voltar ao trabalho, a partir da saída do sindicato do movimento. 

— Me expus e o sindicato me fez de palhaça — lamenta uma professora, que não quis se identificar.

Agora, o foco da categoria é garantir que ninguém tenha o salário descontado pelos dias de paralisação.  

A prefeitura de Caxias informou, em nota, que os pais que não levaram os filhos para a escola estão sendo avisados por telefone de que o serviço está disponível.

Leia também
Manifestantes protestam contra a Reforma da Previdência, em Caxias
Hospital Geral, em Caxias, registra 26 novos casos de câncer de pele

 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros