Aluno de escola pública de Caxias é um dos vencedores da medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática  - Geral - Pioneiro

Educação07/12/2017 | 07h40Atualizada em 07/12/2017 | 07h40

Aluno de escola pública de Caxias é um dos vencedores da medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática 

Competição foi disputada por cerca de 18 milhões de jovens de todo o país

Aluno de escola pública de Caxias é um dos vencedores da medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática  Roni Rigon/Agencia RBS
Professor Vinícius Duarte Lazzaretti confirma que aluno sempre se mostrou acima da média Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

"A próxima tem que ser de ouro".  O desafio foi proposto pela mãe do estudante Krístofer Guilherme dos Santos, na época com 12 anos, quando o garoto, então cursando o 6º ano do Ensino Fundamental na Escola Estadual Coronel José Pena de Moraes, conquistou a medalha de prata na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) em 2016. Um ano depois, Krístofer conseguiu chegar ao topo: aos 13 anos, no 7º ano, foi o único caxiense entre os 500 melhores (200 se considerado o nível que ele competiu, em que concorreram alunos de 6º e 7º anos) num universo de 18 milhões de estudantes de todo o país. Como prêmio, recebeu a sonhada medalha de ouro. 

Leia mais:
Edital para implantação do acolhimento familiar em Caxias será lançado neste mês
Movimento Escoteiro atinge 14 mil membros no Rio Grande do Sul

O resultado foi divulgado no final do mês de novembro. A premiação ocorre somente no final de dezembro, no Rio de Janeiro, mas a família já está se articulando para a viagem.

— Nunca fui para lá (Rio de Janeiro). Gostaria de levar toda minha família, pois eles ficaram muito orgulhosos. Eu até me surpreendi com a felicidade deles — comenta o estudante.

Para o rapaz, a conquista tem grande valor, principalmente pela abrangência da competição. Por outro lado, diz esperar que o reconhecimento represente apenas uma etapa inicial de um futuro promissor.

— É gratificante, mas minha ideia é subir a partir daqui. Não posso diminuir, preciso melhorar sempre. No momento, não sei o que quero do futuro, mas acho que vou tentar ser professor — revela.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (06/12/2017) O caxiense Kristofer Guilherme dos santos, aluno da Escola Estadual José Pena de Moraes, conquista medalha de ouro  na olimpíada nacional de matamática.    (Roni Rigon/Pioneiro).
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Embora o garoto afirme não ter considerado difíceis as provas, o professor de matemática Vinícius Duarte Lazzaretti, que leciona na Escola Pena de Moraes, afirma que a complexidade das questões eliminava qualquer possibilidade de os competidores terem vencido na sorte.

— Não era de assinalar. Precisava raciocinar, desenvolver a resposta e comprovar. Se ele passou, é porque soube fazer mesmo — reitera.

Sobre o sucesso do aluno, o docente se abstém de boa parte do mérito. Segundo Lazzaretti, Krístofer sempre se mostrou acima da média e nunca precisou de muito incentivo para se destacar:

— (Krístofer) é daqueles estudantes que nem precisam ser auxiliados, porque o incentivo já vem de casa. Mas,  é algo que nos deixa muito orgulhosos e motiva os professores a ter um dos seus alunos representando a escola na olimpíada. Sem contar a inspiração para os demais colegas.

União de escola, famílias e estudantes

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (06/12/2017) O caxiense Kristofer Guilherme dos santos, aluno da Escola Estadual José Pena de Moraes, conquista medalha de ouro  na olimpíada nacional de matamática. NA FOTO, KRISTOFER RECEBE AFAGOS DA DIREOTORA  ROSANA CESA.    (Roni Rigon/Pioneiro).
Krístofer ao lado da orgulhosa diretora da Escola Pena de Moraes, Rosana CesaFoto: Roni Rigon / Agencia RBS

A Escola Estadual Coronel José Pena de Moraes, localizada no bairro São Pelegrino, atende cerca de 390 alunos. Apesar da estrutura relativamente pequena, o empenho de diretores, professores e alunos torna a instituição referência à rede pública de ensino em Caxias. Conforme a diretora Rosana Cesa, o reconhecimento de Krístofer Guilherme dos Santos é um dos resultados do comprometimento estabelecido na relação entre os educadores, os alunos e as próprias famílias.

— Família e escola têm de andar juntas. No momento que os pais estão do lado da escola, tudo fica mais fácil e nosso trabalho se torna muito mais eficiente. E a conquista do Kris mostra que as escolas públicas têm tanto potencial quanto qualquer instituição privada. Tudo depende de que todos acreditem e se esforcem para isso — defende Rosana.

Dois irmãos de Krístofer também são exemplos de dedicação. Enquanto Lucas, 15 anos _ que cursa o 1º ano do técnico em Fabricação Mecânica no Instituto Federal (IFRS) _, já ganhou duas medalhas de prata nas Olimpíadas de Matemática quando estudava na Pena de Moraes, Rafaela, de 10, já apresenta notas de destaque cursando o 4º ano do Fundamental.

— A escola (Pena de Moraes) é muito boa, mas gosto de deixar claro para os meus filhos que ele precisam se dedicar. Estudar é a única responsabilidade e a obrigação deles nesse momento. Por outro lado, nunca proíbo ou defino horários para eles navegarem na internet ou ficarem no celular. Só acompanho de perto e me envolvo mesmo — relata Raquel Borges Guilherme, mãe dos três estudantes.

Com relação à conquista mais recente de Krístofer, a analista financeira destaca o interesse demonstrado pelo filho, sobre quem afirma ter tido receios nos anos iniciais.

— Ele sempre teve um temperamento muito forte e isso me preocupava. Até que na escolinha, a professora me falou que o Kris ia ser o orador da turma. Isso me surpreendeu. Eu questionei: "mas como? Ele não sabe nem ler". Porém, ele já sabia ler. Eu é que não sabia disso. Foi ali que começou. Desde então, ele só apresentou notas boas.

Além de Kris

Outros 11 estudantes de Caxias do Sul _ nove de escolas públicas e duas de particulares _ também foram reconhecidos com medalhas de prata, bronze e menções honrosas na competição. 


 

Veja também

Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros